AS RELAÇÕES FAMILIARES NA AULA DE CLÁUDIO: UMA LEITURA DOS ANAIS DE TÁCITO

Douglas de Castro Carneiro

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar as relações familiares na aula de Cláudio (41 d.C. - 54 d.C), realizando uma leitura dos livros XI e XII dos Anais de Tácito. O protótipo da família imperial iniciado com Augusto tinha que ser uma referência com os espaços públicos e privados, pois expressava a continuidade e a saúde da sociedade romana em seu conjunto, além de propagar uma imagem por todos os territórios do Império por intermédio de diferentes experiências artísticas e literárias. Os autores romanos (tais como Tácito, Suetônio e Sêneca) consideravam Cláudio inapto, sem condições de assumir o governo, e muitos membros da corte o criticavam. A metodologia utilizada se refere ao estudo dos livros XI e XII, que traçam um panorama da domus claudiana. Sabemos que as obras históricas não se destinavam a um grande público e se dirigiam à corte, em sessões de recitações e círculos literários. Levando esses apontamentos em consideração, entendemos que os Anais podem ser lidos como veículo de construção e comunicação em um discurso de consenso para a elite romana. Concluímos que este estudo se mostra importante para a compreensão de como as relações familiares são apresentadas dentro do contexto da aula imperial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista GAÎA