“OS GUARDIÕES E SALVADORES DA CIDADE”: A HOMILIA APÓS O TERREMOTO, DE JOÃO CRISÓSTOMO

João Carlos Furlani

Resumo


O cristianismo, ao longo de sua trajetória, se organizou nos termos de uma comunidade que tendeu a atribuir à cultura escrita, em direta relação com a oral, um papel crucial na transmissão e preservação dos preceitos relegados à figura de Jesus. Nesse processo, um dos gêneros literários mais importantes para a expansão do cristianismo foi o das homilias, utilizadas tanto para fins catequéticos, exegéticos, exortativos, laudatórios e pedagógicos. A Antiguidade Tardia viu a ascensão dos Padres da Igreja, tanto nas condições de líderes espirituais quanto por indivíduos influentes em assuntos políticos e sociais das comunidades. Um exemplo claro reside na atuação de João Crisóstomo, um dos maiores pregadores da Igreja e detentor de um extenso número de homilias. Durante o seu episcopado, em Constantinopla, em finais do século IV e início do V, proferiu uma homilia intitulada De terrae motu logo após um abalo sísmico atingir a cidade. E é justamente essa homilia que apresentamos e discutimos aqui. Devido à sua riqueza estrutural e substancial, acreditamos que tal documento é de grande valia, sobretudo, para os estudos que versam sobre a retórica cristã e o processo de cristianização da cidade antiga.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista GAÎA