A REPRESENTAÇÃO DA TIRANIA NA TRAGÉDIA OS PERSAS DE ÉSQUILO (472 A.C.)

Amabile Helena Zanco

Resumo


Tendo em foco as Guerras Greco-Pérsicas, conflito que marcou a relação entre gregos e bárbaros no século V a.C., o presente artigo procura analisar a representação da tirania persa na tragédia Os persas de Ésquilo, encenada pela primeira vez em 472 a.C.. Trabalhando com algumas passagens da obra e com a perspectiva da relação de alteridade entre gregos e persas, investigamos o modo como este autor grego representou para si e seus semelhantes a monarquia persa menos de uma década após a Batalha de Salamina (480 a.C.), cuja derrota persa é colocada em foco em seu enredo. Este artigo é um dos desenvolvimentos de nossa pesquisa de iniciação científica, “O persa nas fontes gregas: a alteridade na tragédia Os persas de Ésquilo e nas representações iconográficas”.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista GAÎA