O trajeto no mundo dos mortos na Siluae 2.1 de Estácio

Murilo Tavares Modesto

Resumo


Na Siluae 2.1, Estácio escreve sobre a jornada no mundo dos mortos romano percorrida pela da sombra de Gláucias, um jovem libertus, até chegar ao Elísio, local para onde iam as sombras dos indivíduos que foram bem-aventurados em vida. Esta narrativa faz parte do discurso consolatório do poema, composto para o enlutado patrono Atédio Mélior, um aristocrata que nutria afetividade pelo falecido e organizou seu funeral. Para compreendermos o discurso da Siluae 2.1, contextualizamos a poética de Estácio relacionado ao seu diálogo com a tradição literária, as características de sua poesia e estrutura das consolações. Tendo em perspectiva este contexto do autor, o objetivo do artigo é analisar como as divindades, os seres e os cenários do submundo são representados no poema e qual é a intenção consolatória do poeta ao retratar tais elementos.


Palavras-chave


Mundo dos mortos; Elísio; Consolação; Siluae 2.1; Estácio.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista GAÎA