Uma literatura heideggeriana da linguagem em Hamlet

Deize Fonseca

Resumo


Este trabalho objetiva estabelecer uma leitura da personagem-título do clássico Hamlet,de William Shakespeare (1564-1616) à luz dos conceitos sobre linguagem estabelecidos pelo filósofo alemão Martin Heidegger(1889-1976). Hamlet é a personagem mais loquaz de Shakespeare. Ele estabelece seus er-no-mundo através de sua linguagem. Seus solilóquios, que são verdadeiros discursos filosóficos, desenvolvem sempre o tema da condição humana. Martin Heidegger revolucionou o pensar filosófico ao deslocar o eixo da discussão para uma questão fundamental e definitiva: o que é ser? Segundo Heidegger, muitos entes existem, mas só o homem é. Proponho repensar o ser ou não ser hamletiano a partir dos conceitos de Heidegger, tendo como eixo principal a questão da linguagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.