Gilka Machado e o simbolismo

Ana Cristina Steffen

Resumo


Gilka Machado é figura pouco lembrada dentro da literatura brasileira. A presença da autora nas histórias da literatura muitas vezes não passa de uma mera citação de seu nome. Somente nos últimos anos Machado teve sua obra revisitada, muito devido aos estudos que se propõe resgatar as escritoras apagadas da história. Aquela que em 1933 foi eleita a maior poetisa do Brasil, tem o seu nome com frequência ligado do movimento simbolista, apesar dessa constatação não ser unanimidade entre os teóricos e historiadores. Sendo assim, constituem-se como objetivos centrais deste trabalho analisar de que forma a autora é apresentada em significativas obras de história da literatura brasileira, e até que ponto seus escritos encontram-se com a estética simbolista, tendo em vista a obra de Álvaro Cardoso Gomes acerca do movimento (A estética simbolista -1985; O Simbolismo  1994;  O conceito de símbolo na estética Simbolista - 2015).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.