Uma bolsa para viagem: um estudo de 'A bolsa amarela', de Lygia Bojunga

Poliane Vieira Nogueira

Resumo


A literatura para adolescentes tem como um de seus principais temas a iniciação juvenil que envolve os estratos físico, emocional e social, concomitantemente, dos seus iniciandos. A descoberta da própria identidade é a chave para alcançar a maturidade necessária para uma vida harmônica na condição de adulto. Este estudo se propõe a pensar como este tema se apresenta em A bolsa amarela, de Lygia Bojunga, uma das mais reconhecidas escritoras o público infantil e juvenil. A obra, por meio de imagens simbólicas convida o leitor a se conhecer juntamente com a protagonista Raquel, uma menina que entra em conflito consigo mesma e com a família por reprimir suas vontades: ser grande, ser garoto e ser escritora, que ela guarda escondida em uma bolsa amarela. Recorreremos a Bruno Betelheim (2015), Arnold Van Gennep (1977) e Chevalier e Gherbrant (2002), para compreender o universo simbólico do texto, bem como a Vera Tietzmann (2008) no que diz respeito a produção literária infantil e juvenil de Lygia Bojunga.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.