Sinais da modernidade pela ótica da literatura feminina

Alessandra Leles Rocha

Resumo


A leitura é sempre um caminho de aprendizado, na medida em que há situações em que ela se transporta além dos limites naturais do entretenimento e conduz o leitor a um processo de reflexão profunda e irreversível. Esse ensaio visa apresentar uma breve análise sobre os sinais da Modernidade manifestos pela ótica da Literatura Feminina de Língua Inglesa, expressos nos contos Monday or Tuesday, de Virgínia Woolf, A cup of tea, de Katherine Mansfield e The Curtain Blown by the Breeze, de Muriel Spark. As mulheres, então, por meio de sua singularidade reuniram em suas obras toda a sensibilidade em um modo muito particular de traduzir em palavras, as emoções mais complexas que o ser humano pode experimentar a partir do século XIX. Afinal, a Modernidade não foi apenas uma impiedosa quebra com alguma condição preexistente; mas, um processo sem fim de rupturas internas e fragmentações dentro dela mesma. A partir do Iluminismo houve uma ruptura com o passado e o surgimento de um sujeito individual que tinha uma existência inicial e primária, cujas leis e formas sociais constituíram uma forma mais social e coletiva.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.