Concepções de romance no século XIX: a crítica oitocentista e seus critérios

Andréa Correa Paraíso Müller

Resumo


O presente artigo tem por objetivo identificar os critérios de avaliação de romances predominantes em meados do século XIX a partir do estudo da circulação e da recepção crítica do romance brasileiro A filha da vizinha (1859), de Antonio José Fernandes dos Reis, obra muito aclamada quando de sua publicação, mas hoje completamente esquecida. Baseando-nos em dados obtidos por meio de pesquisa de fontes primárias realizada com periódicos do século XIX e de pesquisa bibliográfica com trabalhos da área de história da leitura, procuraremos refletir sobre os parâmetros que norteavam os julgamentos feitos pela crítica literária de meados do século XIX e que a levavam a recomendar obras tão distintas das que ficaram posteriormente consagradas. A filha da vizinha, embora dificilmente fosse considerado um bom romance nos dias de hoje, obteve grande aceitação junto aos críticos que se expressaram na imprensa brasileira quando de sua publicação, em meados do Oitocentos, o que indica tratar-se de um texto perfeitamente adequado aos critérios que balizavam a apreciação de romances naquele momento. Estudar a recepção desse romance permite conhecer melhor a crítica literária oitocentista e seus critérios e, assim, compreender mais amplamente a leitura no Brasil daquele período.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.