Revista "Claridade": o "fincar os pés na terra" cabo-verdiano

Simone Donegá Marques

Resumo


Pretende-se analisar neste trabalho o surgimento e desenvolvimento da imprensa em Cabo Verde, bem como refletir sobre a importância da revista Claridade, periódico que representou um marco inicial na literatura cabo-verdiana ao voltar-se para o espaço do arquipélago, com a sua realidade humana e cultural. Em um país carente tanto de recursos materiais para a produção e circulação da literatura quanto de leitores, o grupo de intelectuais cabo-verdianos formado por Manuel Lopes (1907-2005), Jorge Barbosa (1902-1971) e Baltasar Lopes (1907-1989), entre outros, decidiu criar no ano de 1936 a revista Claridade, considerada como instrumento desencadeador do processo de autoconhecimento e de busca de identidade do povo cabo-verdiano. Influenciados pela revista portuguesa Presença e pela literatura brasileira moderna, os escritores cabo-verdianos puderam, através da Claridade, revelar ao mundo a existência de um país com graves carências e sérios problemas sociais, intervindo na realidade social e política do arquipélago.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.