Réquiem para Henry Sutpen e João Capistrano Honório Cota: a maldição familiar em "Absalão, Absalão!", de William Faulkner, e "Ópera dos mortos", de Autran Dourado

Ívens Matozo Silva, Aulus Mandagará Martins

Resumo


O presente artigo procura examinar de que forma os herdeiros Henry Sutpen e João Capistrano Honório Cota são representados nos romances Absalão, Absalão! (1936), de William Faulkner, e Ópera dos mortos (1967), de Autran Dourado. Procuraremos sublinhar as relações intersubjetivas entre pais e filhos e analisar as transmissões de padrões comportamentais e suas respectivas consequências nos dois herdeiros. Para tanto, o embasamento teórico se ampara nas contribuições prestadas por Schmidt (1994), Louro (1997), Penso, Costa e Ribeiro (2008) e Connel e Messerschmidt (2013). Concluímos que o legado familiar atua como uma maldição sobre os herdeiros, a qual perpetua e intensifica a ideologia e os padrões comportamentais instaurados pelos patriarcas. Além disso, Henry e João Capistrano não conseguem sustentar o peso simbólico do sobrenome herdado e acabam sucumbindo tanto física quanto emocionalmente.


Texto completo:

PDF

Referências


BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CONNEL, Robert W.; MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. In: Estudos Feministas, v 21, 1, 2013, p. 241 – 282.

DIAS, Marlom. “Ele faz os personagens viverem”: entrevista com a doutora em Letras, da Universidade Federal de Santa Maria, Vera Lucia Lenz Vianna da Silva sobre o autor do clássico Ópera dos mortos. In: Proa: uma revista de jornalismo literário. Ano II, ed. 1, dezembro 2012, p. 4-6. Disponível em: . Acesso: abr. 2015.

DOURADO, Autran. Ópera dos mortos. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

FAULKNER, William. Absalão, Absalão! Tradução de Celso Mauro Paciornik e Julia Romeu. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

OAKLEY, Helen. Stopped clocks: time and space in William Faulkner and Autran Dourado. In: Revista de Letras. São Paulo, 45 (2), 2005, p. 149 – 164.

PENSO, Maria Aparecida.; COSTA, Liana Fortunato.; RIBEIRO, Maria Alexina. Aspectos teóricos da transmissão transgeracional e do genograma. In: PENSO, Maria Aparecida.; COSTA, Liana Fortunato (Orgs). A transmissão transgeracional em diferentes contextos: da pesquisa à intervenção. São Paulo: Summus, 2008, p. 9 – 23.

SCHMIDT, Rita Terezinha. Da ginolatia à ginologia: sobre a função teórica e a prática feminista. In: FUNK, Suzana (Org.). Trocando idéias sobre a mulher e a literatura. Florianópolis: EDEME Id.Gráfica, 1994.

SILVA, Ívens Matozo. Entre os fantasmas do passado e as ruínas do presente: a decadência familiar em Absalão, Absalão!, de William Faulkner, e Ópera dos mortos, de Autran Dourado. 2017. 152 f. Dissertação (Mestrado em Letras – Literatura Comparada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Centro de Letras e Comunicação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.

VIANNA, Vera Lúcia Lenz. William Faulkner e Autran Dourado: poéticas em comparação. 2001. 239 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Letras: área de concentração: Literatura Comparada). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.