De Pessoa a Tribuzi: uma leitura contemporâneado mito sebastianista

Camila Maria Silva Nascimento

Resumo


Partindo de alguns pretextos literários, linguísticos e filosóficos pretendemos fazer uma leitura contemporânea de alguns textos, não escritos na atualidade, para neles demarcar alguns signos de representação desse olhar: Mensagem (Terceira parte/O Encoberto), de Fernando Pessoa, poeta português e Balada da Praia dos Lençóis, de José Pinheiro Gomes (Bandeira Tribuzi), poeta maranhense. Esses autores poetizaram sobre a temática sebastianista, fazendo viver e reviver o mito D. Sebastião. Aquele, trazendo de volta o sonho do Quinto Império. O maranhense, por sua vez,cantando o que há de mítico e maravilhoso nas lendas maranhenses.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSI, Alfredo (org.). Leitura de poesia. São Paulo: Ática, 1998.

COSTA LIMA, LUIS. Teoria literária em suas fontes. Vol. 1. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

Dicionário de Literatura Brasileira, Portuguesa e Galega. Vols. 1; 2 (Dir.) Jacinto do Prado Coelho. Porto: Figueirinhas, 1978.

Dicionário de Símbolos. Juan-Eduardo Cirlot.São Paulo: Moraes Ltda,1984.

D'ONÓFRIO, Salvatore. Literatura Ocidental: autores e obras fundamentais. São Paulo: Ática, 1998.

FIGUEIREDO, Luís Cláudio Mendonça. Matrizes do pensamento psicológico. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

KAYSER, Wolfgang. Análise e interpretação da obra literária. Coimbra:Armênio Amado, 1985.

MACY, John. História da Literatura Mundial. São Paulo: Cia. Ed. Nacional, 1968.

PESSOA, Fernando. Obra Poética I. Mensagem. Porto Alegre: L&PM, 2000.

PERRONE-MOISÉS, Leila. Altas literaturas: escolha e valor na obra crítica de escritores modernos. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

TRIBUZI, Bandeira. Safra. Poesias Completas. Rio de Janeiro: Cátedra/INL, 1980.

TEIXEIRA, Ubiratan. Diário de Campo: crônicas. Imperatriz MA: Ética, 2010.

http://www.guesaerrante.com.br/2005/11/29/Pagina133.htm. Acesso em 20/05/2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.