A incansável busca do amor: uma análise do adultério feminino em Madame Bovary, de Flaubert e A falência, de Júlia Lopes de Almeida

Viviane Arena Figueiredo

Resumo


A questão da infidelidade conjugal nos remete a uma série de problemas ligados diretamente ao relacionamento marido-esposa e ao convívio em família. Em uma relação a dois são idealizadas certas expectativas que se encontram relacionadas à convivência, a conservação dos sentimentos e a aceitação do comportamento do cônjuge.  Durante o século XIX, por exemplo, romances como Anna Karenina, Madame Bovary e O primo Basílio retrataram tal tema de forma a tocar em certos problemas relevantes em uma vida marital, tais quais a acomodação dos cônjuges ao longo da relação, a idealização habitual de fantasias românticas e a decepção com o desenrolar do relacionamento. Esse desgaste da relação conjugal será enfatizado em A falência (1901) pela escritora brasileira Júlia Lopes de Almeida. A autora, que por muito tempo fora esquecida pelo cânone literário, retrata em tal romance o tema do adultério não só como a busca de uma idealização amorosa, mas também como uma conseqüência dos muitos matrimônios arranjados através da prática de acordos entre famílias que ocorreram de forma freqüente até início do século XX.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA. Júlia Lopes de. A falência. Florianópolis: Editora Mulheres, 2003.

BARTHES, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso.Trad. Maria Valéria Martinez de Aguiar. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

FLAUBERT, Gustav. Madame Bovary. Trad. Araújo Nabuco. São Paulo: Martin Claret, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.