O CONCEITO DE MUDANÇA EM JOSÉ DE ALENCAR

Marcelo Peloggio

Resumo


O artigo procura abordar o conceito de mudança, sob uma perspectiva ampla, ou antes, filosófica (e mesmo ecológica), na obra estética e política de José de Alencar. Tenta, desse modo, também, revitalizar a imagem do autor cearense, considerado, muitas vezes, como o dono de uma visão nacionalista demasiado estreita.

 Palavras-chave: José de Alencar; Conceito de Mudança; Filosofia.


Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. Cartas de Erasmo . In: Obra completa . Rio de Janeiro: José Aguilar, 1960a. v. IV.

_________. Diva . Perfil de mulher. Rio de Janeiro: José Olympio, 1951. v. IV.

_________. José de Alencar . Crônicas escolhidas. São Paulo: Ática/Folha de São Paulo, 1995.

_________. Memórias de um botão (conto incompleto). In: FREIXIEIRO, Fábio. Alencar : os bastidores e a posteridade. 2 a ed. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, Col. “Estudos e Documentos”, 1981a. v. IV.

_________ . O guarani . Romance brasileiro. 3 a ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1955. v. I.

_________. O Rio de Janeiro -- Prólogo. In: FREIXIEIRO, Fábio. Alencar : os bastidores e a posteridade. 2 a ed. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, Col. “Estudos e Documentos”, 1981b. v. IV.

_________. Os filhos de Tupã . In: Obra completa . Rio de Janeiro: José Aguilar, 1960b . v. IV.

_________. O sistema representativo . Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1868.

_________. Pós-escrito. In: _________. Iracema . Lenda do Ceará. Rio de Janeiro: José Olympio, 1951. v. VIII.

_________. Senhora . Perfil de mulher. 2 a ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1953. v. XV.

_________ . Sonhos d' ouro . Romance brasileiro. 2 a ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1953. v. XII.

_________ . Um aprendiz de ministro (fragmento de romance). In: FREIXIEIRO, Fábio. Alencar : os bastidores e a posteridade. 2 a ed. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, Col. “Estudos e Documentos”, 1981c. v. IV.

_________ . Um desejo (fragmento de romance). In: FREIXIEIRO, Fábio. Alencar : os bastidores e a posteridade. 2 a ed. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, Col. “Estudos e Documentos”, 1981d. v. IV.

ARARIPE JÚNIOR, Tristão de Alencar. José de Alencar: perfil literário. In: Obra crítica de Araripe Júnior . Rio de Janeiro: MEC/Casa de Rui Barbosa, 1958. v. I.

CHAGAS, Pinheiro. Novos ensaios críticos . Porto: Viúva Moré -- Editora, 1868.

COMTE, Auguste. Discurso sobre o espírito positivo. In: Os pensadores . Trad. José Arthur Giannoti. São Paulo: Abril Cultural, 1973. v. XXXIII.

LIMA, Alceu Amoroso. José de Alencar, esse desconhecido? In: Alencar, José de. Iracema . Lenda do Ceará. Edição do centenário. Rio de Janeiro: MEC/Instituto Nacional do Livro, 1965, pp. 35-72.

LIRA, Pedro. Antecipações realistas em Alencar, Convivência , Rio de Janeiro, nº 6, pp. 33-43, dezembro de 1982.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever. In: KONDER, Leandro (coord.). Ensaios sobre literatura . Trad. Giseh Vianna Konder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968, pp. 47-99.

POPPER, Karl R. Previsão e profecia nas ciências sociais. In: GARDINER, Patrick. Teorias da história . Trad. Vítor Matos e Sá. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1974, pp. 334-46.

PROENÇA, M. Cavalcanti. Estudos literários . Rio de Janeiro: José Olympio, 1971.

_________. José de Alencar na literatura brasileira . Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

VALENTE, Luiz Fernando. A construção da nação no discurso político de José de Alencar, Letteratura d'America , Roma, anos XVII-XVIII, ns. 73-74, pp. 103-24, 1997-1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.