SUBJETIVIDADE E IDENTIDADE NA OBRA DE CLARICE LISPECTOR

Mayara Ribeiro Guimarães

Resumo


Avaliação do projeto estético elaborado por Clarice Lispector em A paixão segundo G.H. e concretizado em Água viva , fundamentado no diálogo entre pintura e música, no anti-convencionalismo literário, no rebaixamento do poético, na mistura de gêneros e na explicitação do procedimento poético, de modo que a expressão lingüística seja apresentada como problema e objeto de procura do sujeito. Nesse movimento, a reflexão arma o movimento do pensamento sobre si e aponta o paradoxo da tradição literária moderna: a reflexão é ao mesmo tempo caminho para realização do poético e seu empecilho, processo que recupera o diálogo com o Romantismo alemão a partir do movimento de dobra do pensamento sobre si por meio da imaginação e do sentimento, e culmina na Modernidade Literária do século XX.

Palavras-chave: narrativa brasileira, subjetividade, poética.


Texto completo:

PDF

Referências


DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha . São Paulo: Ed. 34, 1998.

LISPECTOR, Clarice. Água Viva . 3ª ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

______ A Paixão Segundo G.H. 6ª ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

SOUSA, Carlos Mendes de. Clarice Lispector. Figuras da Escrita . 1ª ed., Braga, Universidade do Minho/Centro de Estudos Humanísticos, 2000.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna. São Paulo: Duas cidades, 1978.

MORAES, Eliane Robert. O corpo impossível. São Paulo: Iluminuras, 2002.

PESSANHA, José A. Motta. “Clarice Lispector: o itinerário da paixão”, Remate de Males , n. 9, Campinas, p. 181-198, maio de 1989.

RIMBAUD, Arthur. Cartas do vidente. “Lettre à Paul Demey”. Em: RIBAUD, Arthur; CROS, Charles; CORBIÈRE, Tristan. Oeuvres poétiques complètes. Paris: Robert Lafont, 1980, p. 186.

RONCADOR, Sonia. Poéticas do empobrecimento -- A escrita derradeira de Clarice Lispector. 1a. ed., São Paulo: Annablume, 2002.

SCHLEGEL, Friedrich. O dialeto dos fragmentos. Trad., apresentação e notas: Marcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1997.

SOUZA, Ronaldes de Melo e. “Fichte e as questões da arte: A filosofia de Fichte e a Poesia Moderna”. Em: A arte em questão. Org. Manuel Antonio de Castro. Rio de Janeiro: 7Letras, 2005.

SUZUKI, Marcio. O gênio romântico. CiÊncia e História da Filosofia em Friedrich Schlegel. São Paulo: Iluminuras, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.