A cidade perdida de Algum lugar, de Paloma Vidal

Lucas Bandeira de Melo Carvalho

Resumo


Este ensaio discute, a partir da análise do romance Algum lugar, de Paloma Vidal, a relação do sujeito contemporâneo com o espaço e como isso toma forma nos processos de construção de identidade. Parte-se da hipótese de que os espaços contemporâneos são heterogêneos, comportando diversas funções e temporalidades. É com esses espaços heterogêneos, em que a ilusão de uma origem fundamental da identidade nacional está perdida, que o sujeito deve lidar para construir suas identidades, também elas heterogêneas e provisórias. Ao escrever uma narrativa sobre o êxodo, a viagem e a busca por uma origem perdida, Paloma Vidal expõe essa condição do sujeito contemporâneo.


Palavras-chave: Cidade, sujeito, viagem, identidade, romance contemporâneo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.