O JOGO DA AMARELINHA TODOS OS MUNDOS NUM ESPAÇO LUÌDICO

Rosinéia de Jesus Ferreira

Resumo


O Jogo da Amarelinha (Rayuela), de Julio CortaÌzar, eÌ apresentado no aÌ‚mbito da construção luÌdica. Na recuperação desse jogo infantil, uma brincadeira amplamente conhecida, CortaÌzar permite que vaÌrias personagens brinquem. Quando pensamos no jogo, não pensamos que somente eÌ permitido a uma pessoa jogar, mas a vaÌrias, porque o jogo não tem dono, ele permite que todos tentem chegar ao final. 


Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Aula. Tradução e posfaÌcio de Leyla Perrone-MoiseÌs. São Paulo: Cultrix, 1978.

____________. O prazer do texto. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1973.

CORTAÌZAR, Julio. As armas secretas. Tradução e posfaÌcio de Eric Nepomuceno. Rio de Janeiro: JoseÌ Olympio, 2006.

CORTAÌZAR, Julio. O jogo da amarelinha. Tradução de Fernando de Castro Ferro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LEMUS, ViÌctor Manuel Ramos. As reÌdeas da imaginação :Rayuela, de JuÌlio CortaÌzar: entre o histoÌrico e o transcendental. Rio de Janeiro: UFRJ, 2000.

NASCIMENTO, Jorge Luiz do. A cidade e seus homens:representações da urbe em Julio Cortazar. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001.

PIANTAVINHA, Josete de Brito. O processo de criação de Julio CortaÌzar: pensando imagens e tecendo palavras. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.

PREGO, Omar. O fasciÌnio das palavras:entrevistas com Julio CortaÌzar. Tradução de Eric Nepomuceno. Rio de Janeiro: JoseÌ Olympio, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.