Diáspora nordestina na literatura brasileira

Adriana de Fátima Barbosa Araújo

Resumo


Neste texto apresento as linhas gerais da pesquisa de tese de doutoramento que realizo com a orientação do Professor Doutor Eduardo Coutinho. Grosso modo, a pesquisa consiste em ler obras da série literária brasileira que apresentem como protagonista o/a retirante com o intuito de estudá-las a partir das teorias pós-coloniais focando aquelas que tocam o tema da subjetividade diaspórica do migrante. A pesquisa tem como mote inicial a disputa que tomou lugar principalmente na década de 1930 entre Regionalismo e Modernismo.

Referências


AHMAD, Aijaz. In theory: classes, nations, literatures. Londres, Nova York: Verso, 1992.

________. Linhagens do presente. São Paulo: Boitempo, 2002.

BHABHA, Homi k (ed.) Nation and narration. Londres: Routledge, 1990.

________. O local da cultura. Tradução de Myriam Ávila, Eliana et al. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1998.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1980.

______. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

______. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

CADERNOS DA PÓS-LETRAS. Nacionalidade em questão. n. 19, Rio de Janeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1997.

CANDIDO, Antônio. Ficção e confissão: ensaio sobre a obra de Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

________. “Literatura e cultura de 1900 a 1945”. In: ________. Literatura e sociedade. São Paulo: Nacional, 1967. p. 131-165.

________. Vários escritos. São Paulo: Duas cidades, 1977.

________. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 2 v. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Itatiaia, 1997.

________. Iniciação à literatura brasileira: resumo para principiantes. São Paulo: Humanitas, 1999.

________. A educação pela noite & outros ensaios. 3.ed. São Paulo: Ática, 2000.

________. Os parceiros do Rio bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Duas cidades; 34, 2001.

________. O romantismo no Brasil. São Paulo: Humanitas, 2002.

FREYRE, Gilberto. Região e tradição. Rio de Janeiro: José Olympio, 1941.

________. Interpretação do Brasil: aspectos da formação social brasileira como processo de amlgamento de raças e culturas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1947.

________. Manifesto regionalista. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massangana, 1996.

________. Casa grande e senzala: introdução à história da sociedade patriarcal no Brasil - 1. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2000.

________. Sobrados e mucambos. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2000.

HALL, Stuart. “The work of representation”. In: ________ (ed.) Representation: cultural representations and signifying practices. Londres, Thousand Oaks, Nova Delhi: Sage, 1997.

________. “The local and the global: globalization and ethnicity”. In: KUIG, Anthooley (ed.) Culture globalization x the world system. Minneapolis: Editora da Universidade de Minnesota, 1997.

________. “A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo”. In: Educação & realidade. v. 22, p. 15-46, jul/dez 1997.

________. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

________. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

RAMA, Ángel. Transculturação narrativa em America Latina. Mexico: Siglo veiniuno, 1982.

SAID, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. Tradução de Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SCHWARZ, Roberto. “Nacional por subtração”. In ________. Que horas são? São Paulo: Companhia das letras, 1987.

________. “As idéias fora do lugar”. In: ________. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo: Duas Cidades; 34, 2000. p. 9-31.

SPIVAK, Gayatri. The post-colonial critique. Londres; Nova York: Routledge, 1990.

________. Quem reivindica alteridade? Tradução de Patricia Silveira de Farias. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque (org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 187-205.

________. Can the subaltern speak?. In: WILLIAMA, Patrick; CHRISMAN, Laura (editors). Colonial discourse and post-colonial theory: a reader. Nova York: Editora da Universidade de Columbia, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.