O óbvio em Nélson Rodrigues: uma semiologia do humano

Maria Luiza Franco Busse

Resumo


O espaço da escrita é o da ocupação do sujeito e esse é um forte sentido que a obra de Nélson Rodrigues faz aparecer , em especial no que não escapa ao óbvio ululante, que se pode identificar como um conceito-marca desse autor .

Texto completo:

PDF

Referências


NIETZSCHE, F. Humano demasiado humano . São Paulo , Companhia das Letras, 2000, p.78

IBIDEM, p.79-80

BARTHES, R. O grão da voz. Rio de Janeiro, editora Francisco Alves, 1995, p.232

BARTHES, R. O óbvio e o obtuso. Rio de Janeiro, editora Nova Fronteira,1990, p.47

IBIDEM, p.52

IBIDEM, p.47

NIETZSCHE, F. Humano, demasiado humano. São Paulo, Companhia das Letras, 2000, p.49

RODRIGUES,N. Teatro quase completo, volume IV. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1966, p.108

IBIDEM, p.132-133

BARTHES, R. O grão da voz. Rio de Janeiro, editora Francisco Alves, 1995, p.53


Apontamentos

  • Não há apontamentos.