FANTASIAS DE AMOR E MORTE: MÁSCARAS CARNAVALESCAS EM EDGAR ALLAN POE E LIMA BARRETO

Deize Fonseca

Resumo


O Carnaval é por excelência,um momento de exacerbação e mascaramento. Edgar Allan Poe(18091849), em seu conto “A Máscara da Morte Rubra”, mostra um Carnaval da era medieval, que se transmuta de escapismo da nobreza em momento de ajuste de contas com o Destino. Já Lima Barreto(18811922), em seu conto “Cló”, mostra a fantasia de desregramento e liberação sexual de uma jovem da pequena burguesia carioca em plena belle époque . O que permite esta leitura comparada é a máscara, que emerge como elemento catalisador, tanto das emoções dos personagens quanto da crítica social presente nos dois
contos.


Referências


BAKTHIN, Mikhail. A cultura Popular na Idade Média e no Renascimento(O Contexto de François Rabelais). São PauloBrasília,

Hucitech -- Ed. UNB, 1993

BURAUD, Georges. ”Les Masques et la mort” In ______________Les Masques. Paris: Editions du Seuil, 1948.pp.199227

LIMA BARRETO, Afonso Henriques . “Cló”. In _____________Histórias e Sonhos.Rio de Janeiro: Garnier, 1990

MEDEIROS, Rosana Borges de. Carnaval: Luta de Classes ou espetáculo? Revista ContinenteDocumento,nº 30. Recife,fevereiro/2005

POE, Edgar Allan. Ficção completa, poesia e ensaios. Rio de Janeiro: Nova Aguilar,2001. pp.282287


Apontamentos

  • Não há apontamentos.