Performance e identidade cultural no contexto dos gêneros orais: um estudo do Cordel do Fogo Encantado

Jorge França de Farias Júnior

Resumo


O presente trabalho pretende apresentar um estudo sobre as performances do grupo musical “Cordel do Fogo Encantado” gravadas em vídeo e observadas in loco. Um primeiro objetivo do trabalho é o de verificar em que medida esse grupo se constitui como “porta-voz” de uma determinada tradição cultural, expressando, assim, o cotidiano do nordestino, suas crenças, mitos, ritos, etc. Sendo assim, faz-se necessário levar em consideração alguns conceitos: os de arte verbal, de tradição e de identidade. Ao analisar as performances e produções textuais desse grupo artístico, pretendo demonstrar que a dimensão estética da vida social é importante para a compreensão da construção da identidade cultural e linguística de um grupo social. A metodologia utilizada consistiu nos seguintes passos: i) assistir a espetáculos a fim de analisar a performance do grupo; ii) observar e entrevistar os grupos citados nas letras das músicas em seus lugares de origem: Recife, Arcoverde e Pesqueira; iii) recolher material histórico que serviu de base para as composições do grupo; e, iv) entrevistar o grupo Cordel do Fogo Encantado.

Palavras-chave


Gênero Oral; Identidade Cultural; Performance; Cordel do Fogo Encantado.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, João. Ferreira. (trad.). Bíblia Sagrada – contendo o velho e o novo testamento, edição revista e corrigida. Brasília: Sociedade Bíblica do Brasil.

BAUMAN, Richard. Verbal art as performance. Rowley, Massachusetts: Newbury House Publishers, 1977.

______ & SHERZER, Joel. Explorations in the Joel Sherzer ethnography of speaking. London: Cambridge University Press, 1974.

CAPILONGO, Maria Assunta. A noção de sujeito em Michel Foucault. In: Educação, Subjetividade e Poder. Porto Alegre, nº 6, v. 6, p. 63-72, 1999.

KEMP, Kênia. Identidade cultural. In: Antropos e Psique. São Paulo: Editora Olho D’Água, 2002, p. 65-85.

LORD, Albert B. The singer of tales. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1960.

MACIEL, F. B. Lampião, seu tempo e seu reinado, vol. 1. Petrópolis: Vozes, 1980.

MICROSOFT CORPORATION. Enciclopédia Microsoft Encarta © & ®, 2000.

OCHS, E. Constructing social identity: a language socialization perspective.Research on Language and Social Interaction. 26(3), p. 287-306, 1993.

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa. Tomo II. Trad. Marina Appenzeller. Campinas: Papirus, 1995.

SILVA, Ana Christina Bentes da. A arte de narrar: da constituição das estórias e dos saberes dos narradores da Amazônia paraense. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2000 (Tese de Doutorado).

VASCONCELOS, N. Profecia (ou Testamento da Ira). In: CORDEL DO FOGO ENCANTADO. CD produzido por VASCONCELOS, Naná. Recife: Rec-Beat Produções Artísticas, 2001.

ZUMTHOR, P. Introdução à poesia oral. Trad. Jerusa Pires Ferreira, Maria Lúcia Diniz Pochat e Maria Inês de Almeida. São Paulo: Hucitec, 1997.

______. A letra e a voz – A “literatura” medieval. Trad. Amálio Pinheiro e Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 interFACES