A dramaturgia brasileira ainda pode falar ao coletivo?

Geraldo Ramos Pontes Jr.

Resumo


A pergunta sobre o papel da dramaturgia hoje leva em conta o relativo abandono do foco sobre o texto dramático, seja pela voga da cena espetacular e do interesse pelo gênero performático, seja pela renúncia do teatro em discutir questões que fizeram alguma tradição de reflexão no Brasil, consequente da precariedade de meios. Novos projetos de fomento parecem poder dar continuidade ao trabalho de grupos e resgatar reflexões herdadas da dramaturgia.

Palavras-chave


Dramaturgia; Identidade cultural; Grupos de teatro; Programas de fomento teatral.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA Jr., José Simões. Cartografia Política dos Lugares Teatrais da Cidade de São Paulo; tese de doutorado defendida em 2007, na ECA-USP.

ANDRADE, Oswald. O rei da vela. São Paulo: Globo, 2004.

BENTLEY, Eric. O Dramaturgo Como Pensador. Tradução de Ana Zelma Campos. Rio: Civ. Brasileira, 1991.

BOAL, Augusto. Arena conta Zumbi. Revista de Teatro (SBAT), nov.-dez., 1970.

BRECHT, Bertolt. Escritos sobre teatro. Trad. Fiama Pais Brandão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

COSTA, Iná Camargo. Teatro de grupo contra o deserto do mercado. Revista ArtCultura, do Programa de Pós-graduação em História da UFU, vol. 9, nº15, jul-dez. 2007.

______. A hora do teatro épico no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

DIONYSOS. Teatro Experimental do Negro. Rio de Janeiro: MEC-SNT, nº 28, dezembro de 1988.

______. Teatro Oficina. Rio de Janeiro: MEC-SNT, nº 26, janeiro de 1982.

______. Teatro Brasileiro de Comédia. Rio de Janeiro: MEC-SNT, nº 25, setembro de 1980.

FARIA, João Roberto. Antologia do teatro realista. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

______. Ideias teatrais. São Paulo: Perspectiva, 2001.

______. O teatro na estante. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998.

FÉRAL, Josette. Por uma estética da performatividade – texto performativo. Trad. Lígia Borges e Cícero Oliveira. Revista Sala Preta, São Paulo, v. 1, nº 8, p. 197-210, 2008.

LEHMANN, Hans-Thies. Le Théâtre postdramatique. Traduit de l’allemand par PhilippeHenri Ledru. Paris: L’Arche, 2002.

LIMA, Mariângela Alves. “Mire Veja” impõe a crueza do cotidiano e agrada. In: O Estado de S. Paulo. Caderno 2, 20/06/2003, D11.

VIANNA FILHO, Oduvaldo. O melhor teatro. Seleção de Yan Michalski. São Paulo: Global, 2a ed., 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 interFACES