Letras e tretas: a crônica da fuzarca

Eduardo Granja Coutinho

Resumo


Among so many mediators that have contributed for the transformations of popular Carnival, which was marginalized and withdrawn from the representation of the Brazilian nationality, carnival essayists stand out. It is due to their insertion in entertainment industry, their personal will to make carnival more recognized, they were very much responsible for the formation of the national-popular culture.

Palavras-chave


Carnaval; Crônica Jornalistica

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados. 3. ed. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2004.

COUTINHO, Eduardo Granja. Os cronistas de Momo: imprensa e carnaval na Primeira República. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

DIMAS, Antônio. Ambigüidade da crônica: literatura ou jornalismo? Littera, Rio de Janeiro, Grifo, v. 4, n. 12, set.-dez. 1974.

GUIMARÃES, Francisco |Vagalume|. Na roda do samba. 2. ed. Rio de Janeiro: Funarte, 1978.

JOTA EFEGÊ |João Ferreira Gomes|. O cabrocha: meu companheiro de farras. Rio de Janeiro: Casa Leuzinger, 1931.

________. Figuras e coisas Carnaval carioca. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

RABELAIS, François. Gargântua e Pantagruel. Belo Horizonte: Vila Rica, 1991.

SODRÉ, Muniz. A verdade seduzida: por um conceito de cultura no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

TINHORÃO, José Ramos. A imprensa carnavalesca no Brasil: um panorama da linguagem cômica. São Paulo: Hedra, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 interFACES