CARNAVAL E ESPAÇO PÚBLICO: A PRAÇA ONZE E OS FESTEJOS POPULARES NO RIO DE JANEIRO

Antonio Colchete Filho, Karine Dias de Jesus

Resumo


A cidade é formada de cheios e vazios que podem ser representados, respectivamente, pelas edificações e pelos espaços livres públicos. Diferentemente dos espaços edificados fechados, os espaços livres públicos são capazes de recepcionar uma maior diversidade de apropriações que coexistem em um ambiente urbano. Tais apropriações variam em virtude de onde ocorrem, e em consequência dos diferentes costumes vinculados à população. A partir dessas considerações, este artigo tem como objetivo demonstrar como o espaço público constituído pela Praça Onze no Rio de Janeiro se comporta como interface da cultura popular, principalmente no que se refere às festividades de carnaval, uma vez que a história do local carrega consigo raízes que sustentam a história da festa na cidade. Conclui-se que as manifestações culturais encontram nos espaços públicos um ambiente favorável para sua realização, e que o espaço da Praça Onze pode ser afirmado como local que representa com expressividade a cultura de uma população através do tempo.


Palavras-chave


Espaço público; Carnaval; Praça Onze; Rio de Janeiro

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Maurício de. A evolução urbana do Rio de Janeiro. 2 ed. Rio de Janeiro: IPLANRIO; Zahar, 1988.

AGUIAR, Maria Livia de Sá Roriz. Uma história a partir dos “trabalhos de memória”: o Carnaval e a Velha Guarda. Parágrafo, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 228-242, 2014.

BITTER, Daniel. Narrativas de memória e performances musicais dos judeus cariocas da “Pequena África”. Revista Antropolítica, Niterói, n. 39, p.121-149, 2015.

GUIMARÃES, Denise Adôrno de Britto. Pai do prazer, filho da dor: a invenção do samba em sambas de 1930 a 1945. 2016. 199f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Programa de Pós-graduação em História Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

GÓES, Fred. Imagens do carnaval brasileiro do entrudo aos nossos dias. In: PEREIRA, Paulo R.D. Brasiliana da Biblioteca Nacional; guia das fontes sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional; Nova Fronteira, 2002. p.573-588.

JOST, Miguel. A construção/invenção do samba: mediações e interações estratégicas. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 62, p. 112-125, dez. 2015.

LIMA, Evelyn Furquim Werneck. Avenida Presidente Vargas: uma drástica cirurgia. Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca, 1990.

MATOS, M. P. Da Praça Onze à Praça da Apoteose: A Luta pelo Lugar do Carnaval. Revista Contemporânea (UERJ. Online), Rio de Janeiro, v. 6, Ano II, p. 47-57, 2006.

MELLO, J. B. F. Explosões e Estilhaços de Centralidade no Rio de Janeiro. Geo UERJ, Rio de Janeiro, v. 1, n.2, p. 51-64, 1997.

MOURA, Roberto. Tia Ciata e a Pequena África no Rio de Janeiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Dep. Geral de Doc. e Inf. Cultural, Divisão de Editoração, 1995.

PINTO, Fernando Mousse. A invenção da cidade nova do Rio de Janeiro: agentes, personagens e planos. 2007. 296f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

RIBEIRO, Paula. Cultura, memória e vida urbana: judeus na Praça Onze, no Rio de Janeiro (1920-1980). 2008. 303f. Tese (Doutorado em História Social) –Programa de Pós-Graduação em História Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

SILVA, Beatriz Coelho.Negros e judeus na Praça Onze: a história que não ficou na memória. Rio de Janeiro: Bookstart, 2015.

SILVA, Yara. Tia Carmem: negra tradição da Praça Onze. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

SILVA, Zélia Lopes da. Os espaços da festa: o carnaval popular de rua do Brasil dos anos 20. Hist. Ensino, Londrina, v. 4, p.153-172, out. 1998.

SOIHET, Rachel. A subversão pelo riso: estudos sobre o carnaval carioca da Belle Époque ao tempo de Vargas. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas Editora, 1998. 200p.

SOIHET, Rachel. Lutando pela inclusão: sociabilidade e cidadania através do carnaval (de 1890 aos tempos de Vargas). Textos escolhidos de cultura e arte populares, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 79-98, 2007.

SOIHET, Rachel. Reflexões sobre o carnaval na historiografia: algumas abordagens.Tempo, Niterói, v.4, n. 7, 1999.

SÓLIS, V.N.F. Memória do samba na Praça Onze. Aurora, Marília, v. 7, n. 1, p. 41-58, jul.-dez. 2013


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 interFACES