Autonomia e soberania cósmica na Colômbia andina: ontopolíticas Misak no passado recente do Cauca

Guilherme Bianchi

Resumo


Este texto se divide em duas partes. Na primeira, reconstruo a história recente das mobilizações políticas dos Misak do resguardo de Guambia, um povo indígena que habita parte da cordilheira central na Colômbia, no departamento do Cauca. Argumento que uma análise histórica e política das últimas décadas da região pode ajudar a entender o sentido de um gesto conceitual e político que faz transitar de uma concepção específica de política, ligada às atividades de militância ou partidarizadas, para uma nova compreensão do conceito, articulada, de modo mais intenso a partir dos anos 1970, a partir um referencial ontológico e cosmológico, que coloca e recoloca, no “palco político”, problemas de níveis existenciais e relacionados às cosmologias próprias dos Misak. Na sequência, relaciono a história política dos habitantes de Guambia a uma série de autores e autoras que buscam hoje pensar a política para além de visões essencialistas, que a reduzem ao exercício cotidiano do poder, e dos que, ao mesmo tempo, regulam a política ancorados em pressupostos ontopolíticos universalizáveis, como a ideia de “desenvolvimento”. Quero refletir sobre como esse processo também alimenta o crescimento de fissuras, brechas e contrapoderes que afirmam uma multiplicidade ontológica que resiste aos impérios da política como unidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Lugar Comum – Estudos de mídia, cultura e democracia