Metamorfoses - Revista de Estudos Literários Luso-Afro-Brasileiros

A revista Metamorfoses tem por objetivo difundir as literaturas e culturas dos países de língua portuguesa, bem como o possível diálogo com outras literaturas e culturas estrangeiras, contemplando, assim as três áreas que integram a Cátedra Jorge de Sena para estudos luso-afro-brasileiros. Além da temática central de cada número, são aceitas contribuições para a Seniana, seção da revista destinada a publicações sobre a obra de Jorge de Sena. Incluem-se também na revista espaços para alguns textos fora da temática central, resenhas e entrevistas ligadas às três áreas que a compõem.

Notícias

 

Chamadas para Submissões de Artigos: Metamorfoses 18.2

 

O que cabe nos 100 anos de Carlos de Oliveira? O nascimento no Brasil, em Belém do Pará, e o imaginário da floresta; a formação do escritor em Portugal, em tempo de ditadura. A atenção ao real histórico e o inalienável compromisso com o rigor poético; versos plebeus e necessários, e uma promessa de beleza por cantar; as estrelas e a noite que elas não eliminam, mas iluminam; a paisagem da Gândara e uma imagem do cosmos; o vínculo com o Neorrealismo e a elaboração de uma voz singular, no labor das palavras; a conversão do mundo – de tudo – em escritura, cartografia movente, voo sobre aridez. Uma poética e sua micropaisagem; narrativas da opressão, da solidão e da decadência; um escritor, aprendiz de feiticeiro, mirando a criança que desenha uma outra pastoral. O que cabe nos 40 anos de desaparecimento de Carlos de Oliveira? A existência de um inesperado espólio e a visão de sua oficina de trabalho literário: escrita, reescrita e leitura em movimento; a permanência vigorosa de uma obra que é pronunciamento ético e construção estética, e que segue sendo lida, pensada, revisitada.

 
Publicado: 2021-04-04 Mais...
 

Chamadas para Submissões de Artigos: Metamorfoses 18.1

 

Metamorfoses de Pessoa

Fernando Pessoa está "por conhecer", para lembrar um título de 1990, ou estará Pessoa também "por desconhecer", como sugere Carlos Pittella depois de publicar a edição crítica do Fausto? Fernando Pessoa está por editar (criticamente), como frisa Ivo Castro, mas porventura também está sobre-editado e precisa, em certos casos, de ser deseditado ou reeditado? Pessoa está sempre a ser lembrado, ou precisa também ser de certo modo esquecido? Não temos nos últimos anos acompanhado um processo de transformação do Pessoa pretensamente conhecido que é de índole qualitativa e não é apenas quantitativa? Qual Pessoa falta conhecer e qual desconhecer? 

 
Publicado: 2021-03-12 Mais...
 
Outras notícias...

v. 16, n. 2 (2019): Homenagem a Agustina Bessa-Luís


Revista Metamorfoses V.16 N.2 de 2019
Revista Metamorfoses V.16 N.2 de 2019