O desenvolvimento do parque de refino da Coreia do Sul na articulação energética da Ásia

Rodrigo Pimentel Ferreira Leão, José Luís da Costa Fiori

Resumo


O aumento do consumo de petróleo na Ásia exigiu estratégias dos maiores demandantes para amenizar restrições de fornecimento no longo prazo sob tutela dos Estados Nacionais. O pilar fundamental dessas estratégias foi a criação de uma articulação regional que possibilitasse a internacionalização das grandes petrolíferas (principalmente da China) e criasse fornecedores de petróleo e derivados para atender os maiores mercados asiáticos. Aproveitando-se dessa articulação, a Coreia do Sul realizou uma inserção externa particular nessa articulação energética da Ásia, priorizando instrumentos para fomentar a expansão do seu parque de refino por meio das suas empresas nacionais e também da associação com empresas estrangeiras. Ou seja, essa inserção não ficou dependente de empresas chinesas e indianas, mas soube explorar as oportunidades de mercado sem renunciar a sua soberania. Isso tem permitido alavancar as exportações sul-coreanas de combustíveis para os seus vizinhos, mostrando o êxito dessa rede de investimentos e comércio em torno do petróleo.

Palavras-chave


Ásia; Coreia do Sul; Petróleo; Articulação energética

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Oikos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: