Na contramão da segurança energética: o refino e a política de preços da Petrobras sob os governos Temer e Bolsonaro

Juliane Furno, Letícia Nunes Pereira Leite, Letícia Nunes Pereira Leite

Resumo


O presente artigo analisa a inflexão na condução da orientação política de atuação da Petrobrás sob os governos neoliberais de Michel Temer e Jair Bolsonaro, com foco no abandono da estratégia de persecução à soberania energética, compreendida como a busca por disponibilidade física de energéticos e sua comercialização doméstica a preços acessíveis. Na contramão da trajetória pregressa e das demais grandes empresas petrolíferas, a Petrobrás tem se apequenado diante da sua vocação como empresa de caráter estatal e voltada à garantia da segurança energética. Sob as diretrizes de governos de recorte neoliberal, a desverticalização, a alienação do setor de refino e a nova política de preços concorrem como os principais elementos que corroboram a hipótese de que o país está renunciando à soberania energética, componente essencial da soberania nacional e da afirmação de uma posição de destaque nas Relações Internacionais.


Palavras-chave


Petrobrás; Desenvolvimento Econômico, Refino, Segurança Energética.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Oikos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: