A ESCRITA DA HISTÓRIA NO BRASIL: AS MULHERES E OS ESTUDOS CLÁSSICOS E ORIENTAIS

Érica Cristhyane Morais da Silva

Resumo


Nas últimas décadas, os estudos clássicos e orientais no Brasil tiveram um avanço extraordinário – tanto no aumento de publicações de livros, artigos, teses e dissertações quanto na realização de eventos acadêmicos – e, sobretudo, significativa ampliação na formação especializada de recursos humanos na subárea de História Antiga. A produção historiográfica brasileira sobre o mundo antigo se apresenta ampla e diversa, a despeito das exigências que já se impõem à formação de recursos humanos especializados no Brasil, em particular nessa subárea, a exemplo da imprescindível formação em idiomas estrangeiros, nem sempre de fácil acesso em território nacional. Os estudos clássicos e orientais desenvolvidos no Brasil exibem características particulares, seja de perspectiva e abordagens, seja de escolhas de objetos de pesquisa. Diante desse cenário, nos parece pertinente considerar a ampliação da contribuição feminina para a escrita da História do mundo antigo pela perspectiva brasileira.

Palavras-chave


História; mulheres; historiografia; mundo antigo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26770/phoinix.v27n2a7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Érica Cristhyane Morais da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADA POR

 
 
 
 
 
  
 

INSTITUCIONAL

Laboratório de História Antiga - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Largo de São Francisco, nº 1, sala 211 A - Centro, Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20051070 | Tel: +55 (21) 22210341, ramal 205 | www.lhia.historia.ufrj.br - laboratoriodehistoriaantiga@gmail.com