A PERFORMANCE MUSICAL DA POESIA: CONSIDERAÇÕES SOBRE OS TROIS POÈMES DE STÉPHANE MALLARMÉ

Yuri Molinari, Guilherme Gontijo Flores

Resumo


Este artigo visa a analisar Soupir, a primeira canção do ciclo vocal Trois Poèmes de Stéphane Mallarmé (1913), composto por Claude Debussy. Ancorada no poema homônimo de Mallarmé, essa canção se constitui como uma tradução musical na medida em que converte o texto original em uma linha melódico-rítmica diversa da que poder-se-ia prever para os versos alexandrinos do poema original. O referencial teórico de Julio Plaza (2013) fornecerá a base teórica para que se encare uma canção como tradução de um poema; os conceitos de Barbara Smith (1971) e Paul Zumthor (2014), que levantam, ambos, questões de interesse acerca da enunciação do poema, da performance e da interpretação -- aqui, no duplo sentido literário e musical -, mostrar-se-ão úteis para tecer considerações acerca da natureza do objeto analisado e dos elementos textuais encontrados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Policromias - Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Policromias é a publicação do LABEDIS - Laboratório de Estudos do Discurso, Imagem e Som, coordenado pela Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza e vinculado ao Museu Nacional (UFRJ).

              

 

 

 

 


Licença Creative Commons

A Policromias utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.