“É GARANTIDO, É CAPRICHOSO, É CARNAVAL”: PARINTINS EM DESFILE NO CARNAVAL DE 1998 DO G.R.E.S. ACADÊMICOS DO SALGUEIRO

João Gustavo Martins Melo de Sousa

Resumo


O artigo analisa aspectos transculturais e artísticos presentes na preparação e no desfile do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro no Carnaval de 1998, com o enredo “Parintins, a Ilha do Boi-Bumbá: Garantido X Caprichoso, Caprichoso X Garantido”. Busca lançar luzes sobre questões relativas ao processo de divulgação e espetacularização dos bumbás na década 1990, e os fatores comerciais que levaram à escolha do enredo salgueirense. Aborda, ainda, a circularidade de saberes e técnicas por parte dos artistas de Parintins para a confecção das alegorias apresentadas pela escola de samba em análise.


Palavras-chave


Escolas de samba; Festival Folclórico de Parintins; Transculturação; Carnaval; Boi-bumbá

Texto completo:

PDF

Referências


AMAZONAS NOTÍCIAS. Juarez Lima: gênio da ousadia e grandiosidade. 2015. Disponivel em https://www.amazonasnoticias.com.br/parintins-juarez-lima-genio-da-ousadia-e-grandiosidade/.

BIRIBA, Ricardo Barreto. Parintins: o global e o local. Revista Repertório, Salvador, número 19, p.67-72, 2012.2).

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 4. Ed. São Paulo: EDUSP, 2003.

CARDOSO, Jocemara Matos. O discurso de resistência em meio à espetacularização do festival folclórico de Parintins. 2016. 208 f. Dissertação. Mestrado em Linguistica. Universidade Federal de São Carlos - São Paulo, 2016.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. Carnaval carioca dos bastidores ao desfile. Editora UFRJ / Funarte. Rio de Janeiro, 1994.

______________. Formas do efêmero: alegorias em processos rituais. Revista Ilha, Florianópolis, v.13, n.1, p. 163-183, jan/jun (2011) 2012.

______________. O ritual e a brincadeira: rivalidade e afeição no bumbá de Parintins, Amazonas. Mana vol. 24 no.1 Rio de Janeiro, Apr. 2018. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-93132018000100009&script=sci_arttext&tlng=es.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Tradução Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HANNERZ, Ulf. Fluxos, Fronteira, Híbridos: Palavras-chave da antropologia transnacional. Revista Mana, Rio de Janeiro, Vol. 3, Nº1, 1997.

KIFFER, Daniele; FERREIRA, Felipe. Isto faz um bem: as escolas de samba, a Coca-Cola, a “invasão da classe média” no carnaval carioca dos anos 50. Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares. Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 55-72, nov. 2015.

SANTOS, Nilton da Silva. Entre a precariedade e a profissionalização: apontamentos sobre o lugar do carnavalesco no Rio de Janeiro. Textos escolhidos de cultura e arte populares. Rio de Janeiro, v.6, n.1, p. 151-159, 2009.

SILVA, Marivaldo Bentes da. A espetacularização da festa do boi-bumbá de Parintins: novos modos de produção artística. Dissertação. Mestrado em Artes Visuais. Salvador: Escola de Belas Artes– Universidade Federal da Bahia, 2009.

SOUZA, Márcio. Festa na floresta: o boi bumbá de Parintins. Catálogo da exposição inaugurada na Galeria do SESC Tijuca em 18 de outubro de 2000. Rio de Janeiro: Funarte. 84 p.

STOREY, John. Teoria cultural e cultura popular: uma introdução. São Paulo: Editora Sesc, 2015.

VALENÇA, Teixeira. O espetáculo da tradição: um estudo sobre as escolas de samba e a indústria cultural. Dissertação. Mestrado em Comunicação Social. Rio de Janeiro: Escola de Comunicação – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Policromias - Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Policromias é a publicação do LABEDIS - Laboratório de Estudos do Discurso, Imagem e Som, coordenado pela Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza e vinculado ao Museu Nacional (UFRJ).

              

 

 

 

 


Licença Creative Commons

A Policromias utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.