Planejamento estratégico e gestão da informação: Estudos das dificuldades a partir da Teoria da Ação

Antonio de Souza Silva Júnior, Diego Andres Salcedo, Maria Claudiane da Silva, Ingrid Naara Carlos Ferreira

Resumo


O gerenciamento de informações requer uma cultura voltada à informação, através de uma gestão participativa. Todavia, os colaboradores quando necessitam enfrentar questões difíceis fazem uso de mecanismos de defesa em vez de focar em informações válidas. Foi desenvolvido um estudo com os colaboradores de uma instituição pública de ensino em Bezerros-PE, a fim de estudar o impacto do comportamento dos envolvidos na captação e uso da informação no processo de desenvolvimento do planejamento estratégico. Esta pesquisa é de abordagem qualitativa. A coleta de informações ocorreu através de entrevista semiestruturada, e sua análise através da pragmática da linguagem. Como resultados, observou-se que não há compartilhamento de informações entre os setores, as informações captadas são limitadas e o desenvolvimento do planejamento estratégico não possui um cronograma de atividades bem definido. O sentimento de não pertencimento ao processo faz com que os colaboradores demonstrem comportamentos defensivos e não se comprometam com a aplicação das ações decididas.


Palavras-chave


Planejamento estratégico. Informação. Teoria da ação. Gestão da informação

Texto completo:

PDF EPUB HTML


DOI: https://doi.org/10.47681/rca.v5i2.34748

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Conhecimento em Ação




ISSN: 2525-7935

Bases de Dados e Diretórios
 
Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação  Latindex Perfil da Revista Conhecimento em Ação no Google Acadêmico