Abordagens conceituais sobre prontuário do paciente: avançar e ousar nas pesquisas brasileiras em ciência da informação

Autores

  • Rosa da Penha Ferreira da Costa Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 https://orcid.org/0000-0002-5379-1323
  • Marcelo Calderari Miguel Universidade Federal do Espírito Santo: Vitoria, ES | Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas, BR Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 http://orcid.org/0000-0002-7876-9392
  • Margarete Farias de Moraes Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 https://orcid.org/0000-0002-4110-4610
  • Luiz Carlos da Silva Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da UFES, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 https://orcid.org/0000-0002-1443-5879

DOI:

https://doi.org/10.47681/rca.v6i2.42161

Palavras-chave:

Cidadania, Ciência da Informação, Inovação em Gestão da Informação e do Conhecimento, Saúde, Produção científica.

Resumo

Considerado documento multifuncional para a área da Saúde, o Prontuário do Paciente é abordado no âmbito da Ciência da Informação diante os suportes eletrônico e papel. Apesar de que pese as dificuldades na implantação e utilização do Prontuário Eletrônico do Paciente é preponderante na melhoria dos sistemas e serviços de saúde de um país. As abordagens mapeadas na literatura cientifica indexadas no Acervo de Publicações Brasileiras em Ciência da Informação não excluem outras possibilidades de sistematização, mas evidenciam a riqueza do prontuário do paciente como objeto de estudo nessa área. Averigua-se também que a Lei de Acesso à Informação – Lei Nº 12.127 mantém as prescrições ditadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) no quesito elaboração e disponibilização do prontuário do paciente, seguindo a mesma linha de raciocínio e de conduta. Assim, as abordagens mapeadas não excluem outras possibilidades de sistematização, mas evidenciam a riqueza do prontuário do paciente como objeto de estudo pela ciência da informação.

Biografia do Autor

Rosa da Penha Ferreira da Costa, Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910

Doutora em Ciência da Informação (Dinter Unb/Ufes), Coordenadora do Mestrado em Ciência da Informação (PPGCI/UFES)

https://arquivologia.ufes.br/rosa-da-penha-ferreira-da-costa

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília (Dinter Unb/UFES). Possui Mestrado em Artes pela Universidade Federal do Espírito Santo (2012), graduação em Biblioteconomia (1990), em Arquivologia (2006) e em Artes Plásticas (1995). Atualmente é professora assistente da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: fotografia, memória, cidade, arquivologia e patrimonio histórico, artístico e cultural. Membro do Laboratório de Extensão e Pesquisa em Artes e do Grupo de Estudo em Poéticas do Processo de Criação (CNPq), estudante membro do Grupo de Pesquisa Acervos Fotográficos - GPAF (CNPq). Coordena o Programa de Extensão "Arquivo Permanente: em busca da memória institucional da UFES". 

Marcelo Calderari Miguel, Universidade Federal do Espírito Santo: Vitoria, ES | Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas, BR Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910

Especialista em Educação Científica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel em Administração e Bibliotecomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Orcid: http://orcid.org/0000-0002-7876-9392. E-mail: marcelocalderari@yahoo.com.br

ID Lattes: 5290994830537934.

https://ufes.academia.edu/MiguelMarceloCalderari

 

Margarete Farias de Moraes, Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espirito Santo (UFES) e Coordenador(a)-Adjunto(a) do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil.

Bacharela em Arquivologia pela Universidade do Rio de Janeiro - UNIRIO (1993), Licenciatura e bacharel em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (2001) e mestrado em História das Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz (2005). É Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espirito Santo (PPGE/UFES). Atualmente é professora do Departamento de Arquivologia da Universidade Federal do Espirito Santo. Tem experiência em docência e organização de centros de documentação, arquivos médicos e administrativos, com ênfase no planejamento e gestão arquivísticos. Possui também experiência em docência na área de História, com ênfase em História das Ciências. Tem como campos de investigação a história, a educação e o gerenciamento de informação na área de saúde.

https://brapci.inf.br/index.php/res/v/106560

 

Luiz Carlos da Silva, Universidade Federal do Espírito Santo - Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da UFES, Vitória, ES, Brasil Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910

Prof. Dr. Coordenador do curso de bacharelado em Arquivologia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2020), Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2013) e Graduado em Arquivologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2006). Professor e Coordenador do Departamento de Arquivologia da UFES e Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFES. Participa do grupo de pesquisa denominado Tabularium atuando como vice coordenador. Coordena o Núcleo de Preservação da Informação (NUPI) instalado no Laboratório de Preservação e Pesquisa de Documentos Arquivísticos e Bibliográficos - LPPDAB. Pesquisa os temas: memória institucional; patrimônio documental; preservação, conservação e restauração de documentos; políticas públicas em Arquivologia, funções arquivísticas, políticas de informação e Ciência da Informação. E-mail: luizarquivologia@gmail.com. ID Lattes: 2553964864422495

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2553964864422495

Coordenador do curso de bacharelado em Arquivologia da Universidade Federal do Espírito Santo

 


Publicado

2021-12-19

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa