O Silêncio dos Livros Censurados pela Ditadura Militar: uma abordagem a partir da perspectiva do Patrimônio Bibliográfico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47681/rca.v6i1.43588

Palavras-chave:

Patrimônio Bibliográfico, Acesso à informação, Ditadura Militar

Resumo

Apresenta-se uma breve reflexão sobre livros censurados pelo Regime Militar brasileiro. Esses devem ser categorizados como Patrimônio Bibliográfico Brasileiro, uma vez que refletem um período conturbado da história do país. As editoras Civilização Brasileira, Paz e Terra e Zahar Editores sofreram com perseguições do governo, já que eram de oposição à ditatura e produziam livros para a Universidade. Os livros censurados fazem parte da história dessas editoras, bem como dos autores e leitores. Uma vez identificados como Patrimônio Bibliográfico, esses livros precisam ser divulgados, pois todo cidadão deve ter acesso ao conhecimento histórico. Assim sendo, propõe-se uma reflexão sobre a catalogação dos livros censurados, pois o bibliotecário atua como agente social ao conferir tratamento adequado a essas obras.

Biografia do Autor

Fabiano Cataldo Azevedo, Universidade Federal da Bahia - UFBA.

Doutor em História (UERJ), Mestre em Memória Social (UNIRIO) e Bacharel em Biblioteconomia (UNIRIO). Professor Adjunto do Departamento de Documentação e Informação do Instituto de Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Erick Gonçalves Garcia, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO.

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Auxiliar de Biblioteca do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro

Stefanie Cavalcanti Freire, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Doutoranda em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ. Professora Assistente do departamento de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO.

Publicado

2021-06-24

Edição

Seção

Artigos de Revisão