Que profissão é essa? As relações entre (in) visibilidade e gênero na prática bibliotecária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47681/rca.v7i3.58180

Palavras-chave:

profissão bibliotecária, (des)valorização social e profissional, relações de Gênero, percepções das/os bibliotecárias/os.

Resumo

Apresenta um estudo que procura refletir sobre a profissão bibliotecária e as relações de gênero. Objetiva discutir sobre a profissão bibliotecária, sua (des)valorização, (in)visibilidade, e as relações de gênero, a partir da percepção das/os bibliotecárias/os. Aborda alguns aspectos sobre a profissionalização da Biblioteconomia no Brasil, (des)valorização da profissão, e as relações de gênero na área. Classifica como pesquisa bibliográfica e exploratória, com abordagem qualitativa. Expõe a percepção das/dos bibliotecárias/os sobre as temáticas discutidas por meio do instrumento de coleta (questionário). Utiliza o método da Análise de Conteúdo para analisar os depoimentos coletados. Observa-se que para as/os bibliotecárias/os a profissão ainda segue sendo desvalorizada/invisibilizada por motivos de: falta de investimento do setor de políticas informacionais e de educação, precariedade e desvalorização das bibliotecas, falta de conhecimento sobre suas as práticas, alocação de não bibliotecárias/os nos espaços de atuação (bibliotecas). Percebeu-se que as/os bibliotecárias/os participantes desta pesquisa não associam que o fato de a profissão bibliotecária ser majoritariamente feminina tenha surtido efeito negativo a ela, mas reconhecem que profissões consideradas femininas são menos valorizadas do que as ditas masculinas. Conclui-se através dos resultados obtidos que, apesar dos discursos otimistas sobre a realidade profissional, os problemas elencados pelas/os bibliotecárias/os não são novos. Infere-se que os fatores que contribuem para a desvalorização estão além da compreensão externa da sociedade sobre as práticas profissionais, são fatores de ordem econômica, social e cultural.

Biografia do Autor

Adriana Lima Costa, Bacharela em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e pós- graduanda em Letramento Informacional: educação para informação (UFG).

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Goiás (2021).  Pós- graduanda em Letramento Informacional: educação para informação (UFG).Tem interesse nas áreas de Biblioteconomia Social, Projetos Culturais, Estudos de Usuários, Organização da Informação.

Erinaldo Dias Valério, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutor em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (PPGCI/IBICT-UFRJ). Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco (PPGCI/UFPE). Especialista em Língua Brasileira de Sinais - Libras pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC/Campus Cariri). Atualmente é professor do Departamento de Ciência da Informação (DCI) da UFPE e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Biblioteconomia (Mestrado Profissional) da Universidade Federal do Cariri (UFCA). Coordena o Alaye - grupo de estudos e pesquisas em informação antirracista e sujeitos informacionais e participa do Núcleo Brasileiro Latino Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais (NBLAC). Desenvolve pesquisas nas áreas de Ciência da Informação e Biblioteconomia, atuando principalmente nos seguintes temas: Descolonização da Biblioteconomia e Ciência da Informação; Fundamentos da Biblioteconomia e Ciência da Informação; Informação e educação antirracista; Movimento Negro Brasileiro; Formação do/a bibliotecário/a; Estudos sobre fluxos e sujeitos informacionais; Cultura informacional e competência em informação.

Referências

ALMEIDA, Carlos Cândido de. O campo da ciência da informação: suas representações no discurso coletivo dos pesquisadores do campo no Brasil 2005. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós- Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005. Disponível: http://repositório.ufsc.br/handle/123456789/10201. Acesso em 14 nov. 2019

AMARAL, Sueli Angelica do. Serviços bibliotecários e desenvolvimento social: um desafio profissional. Ciência da Informação, v. 24, n. 2, 1995a. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/589. Acesso em: 10 nov. 2019.

AMARAL, Sueli Angelica do. Biblioteca e constituição. Revista de informação legislativa, v. 32, n. 126, p. 221-229, abr./jun. 1995b. Disponível em: http://www.2.senado.leg.br/bds/handle/id/176335. Acesso em: 11 nov. 2019.

ARAÚJO, Ângela Maria Carneiro. Apresentação. Caderno Pagu, Campinas, SP n.17/18, p. 131-138, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cpa/n17-18/n17a05.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

ARAÚJO, Maria de Fátima. Diferença e igualdade nas relações de gênero:

revisitando o debate. Psicologia clínica, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 41-

, 2005. Disponível em: https://encurtador.com.br/btuUX. Acesso em: 15 nov. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977. Disponível em: https://encurtador.com.br/jBPY0. Acesso em: 03 de nov. 2020.

BOSI, Maria Lúcia Magalhães. Profissionalização e conhecimento: a nutrição em questão. São Paulo: Hucitec, 1996.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed.

Porto Alegre: Artmed, 2007.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. 2. ed. São Paulo: Atlas 1985.

FERREIRA, Maria Mary. O profissional da informação no mundo do trabalho e as relações de gênero. Transinformação, v. 15, n. 2, p. 189-201, 2003. DOI: 10.1590/S0103-37862003000200007. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/115486 Acesso em: 29 set. 2019.

FERREIRA, Maria Mary; VEIGA, M. A. P. Bibliotecário, Trabalho e Salário: o profissional

da informação na sociedade de mercado. In: VI JORNADA INTERNACIONAL DE

POLÍTICAS PÚBLICAS: O DESENVOLVIMENTO DA CRISE CAPITALISTA E A

ATUALIZAÇÃO DAS LUTAS CONTRA A EXPLORAÇÃO, A DOMINAÇÃO E A

HUMILHAÇÃO, Nº 6., 2013, São Luís. Anais [...]. São Luís: UFMA, 2013.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio século XXI escolar: o mini dicionário da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

FIGUEIREDO, Nice Menezes. O bibliotecário: este desconhecido. FEBAB. Disponível em: http://repositorio.febab.org.br/items/show/529. Acesso em: jan. 2021.

GARCEZ, Eliane Fioravante. O bibliotecário nas escolas: uma necessidade. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 27-41, jan/jun, 2007. Disponível em: http://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/492. Acesso em; 14 nov. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho

científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações etrabalhos científicos. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1992.

LAZARI, Joana Sueli de. Papeis de gênero em mulheres de escolaridade superior engajadas profissionalmente. 1993. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1993. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/111236?show=full. Acesso em: 29 de out. 2019.

LEWIN, Helena. Educação e força de trabalho feminina no Brasil. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 32, p. 45-59, 1980.

LIMA, Cátia Cristina de; LIMA, Katianne de. A auto-imagem do bibliotecário versus a visão social: uma análise da valorização profissional. 2009 Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia) – Instituto de Ciências Humanas Comunicação e Artes, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2009.

MARINHO, Marcelo Jacques M. da Cunha. Profissionalização e credenciamento: a política das profissões. Rio de Janeiro: Senai, 1986.

MOURA, Maria Lúcia Seidl de; FERREIRA, Maria Cristina. Projetos de pesquisa:elaboração, redação e apresentação. 1. ed. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2005.

OLIVEIRA, Zita Catarina Prates de. O bibliotecário e sua auto-imagem. São Paulo: Pioneira, 1983.

PIRES, Hugo Avelar Cardoso; DUMONT, Lígia Maria Moreira. Relações de género e a profissão bibliotecária no Brasil. Cadernos BAD, 2016, n. 1, jan-jun, p. 157-171. Disponível em: https://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos/article/view/1524 Acesso em: 17 ago. 2019.

RODRIGUES, M. E. F et al. A biblioteca e o Bibliotecário no imaginário popular. Biblioline, v. 9, n. 1, 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/16429. Acesso em: 03 dez. 2019.

SANTOS, Gabriela Pinheiro do. Relações de gênero na área de biblioteconomia: uma análise de literatura. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: http://handle.net/11422/2605. Acesso em: 19 ago. 2019.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. rev. atual. São Paulo: Cortez, 2007.

SOARES, Marina Lima. A educação continuada na visão de bibliotecários do Distrito Federal. 2016. Trabalho de Conclusão de curso. 97 f. (Graduação em Biblioteconomia) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, 2016. Disponível em: https://bdm.unb.br/handle/10483/17518. Acesso em: 17 nov. 2020.

SOUSA, Beatriz Alves de. O gênero na biblioteconomia: percepções de bibliotecários/as. 2014. 270 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/129392. Acesso em: 07 ago. 2019.

SOUZA, Francisco das Chagas de. A formação acadêmica de bibliotecários e cientistas da informação e sua visibilidade, identidade e reconhecimento social no Brasil. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.16, n.1, p.23-34, jan./jun. 2006. Disponível em: https://periódicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/439. Acesso em: 14 nov. 2019.

TARGINO, Maria das Graças. Quem é o profissional da informação? Olhares e fragmentos: cotidiano da biblioteconomia e ciência da informação. Teresina: EDUFPI, 2006. p. 161- 177.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. O profissional da informação: formação, perfil e atuação profissional. São Paulo: Polis. 2000. 156 p.

WALTER, Maria Tereza Machado Teles. Bibliotecários no Brasil: representações da profissão. 2008. 345 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Departamento de Ciência da Informação e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/5288. Acesso em: 10 out. 2019.

Publicado

2023-08-08

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa