Fomento à pesquisa e conhecimento em ação: uma análise da área de Defesa Nacional

Jaqueline Santos Barradas

Resumo


O sistema de fomento à pesquisa remonta ao final da Segunda Guerra Mundial em que se evidencia a necessidade de promover pesquisas cientificas no mundo, contexto no qual são criadas no Brasil as agências de fomento nacionais. O objetivo deste artigo é analisar as condições atuais e as dificuldades da área de Defesa Nacional no que diz respeito ao financiamento de pesquisas pelos órgãos de fomento nacionais e sua inserção nas políticas públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação brasileiras, tendo em vista o seu processo de formalização e institucionalização como área do conhecimento. Para tanto contextualiza o campo acadêmico-científico da Defesa Nacional, segundo conceito de Pierre Bourdieu. Trata-se de uma pesquisa exploratória em que foram utilizados alguns procedimentos metodológicos como a busca na literatura e em documentos da área, a fim de evidenciar dados, fatos e resultados que permitissem uma análise mais detalhada da situação. Conclui que a institucionalização do campo acadêmico-científico da Defesa no Brasil ainda é um universo a ser conquistado, já que se trata de uma área em construção epistêmica. Contudo, há necessidade de se realizar contínuos investimentos públicos e privados. Ao comprovar sua natureza e constituição, e demonstrar seu potencial de crescimento, cria-se condições para sua institucionalização como campo, área ou subárea de conhecimento.

Palavras-chave


Geração de conhecimento. Fomento à pesquisa. Defesa Nacional. Campo científico. Área de conhecimento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.

ISSN: 2525-7935