A miséria da crítica heterodoxa: segunda parte - método e equilíbrio na tradição neoclássica

Marcos de Barros Lisboa

Resumo


A primeira parte deste ensaio, Lisboa (1998a), discutiu o equívoco de diversas críticas heterodoxas à tradição neoclássica. Grande parte destas críticas caracteriza-se por apontar o irrealismo de alguma hipótese particular utilizada em certos modelos dessa tradição. Sobretudo, o uso do conceito de equilíbrio é usualmente criticado por impor, segundo os autores heterodoxos, restrições ao comportamento dos processos econômicos incompatíveis com o funcionamento de uma economia de mercado.

Palavras-chave


método; equilíbrio; tradição neoclássica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Marcos de Barros Lisboa

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
e-mail: rec@ie.ufrj.br