A política de câmbio do Plano Real (1994-1998): especificidades da âncora brasileira

Francisco Eduardo Pires de Souza

Resumo


Muitos traços comuns têm sido assinalados nas comparações entre diferentes programas de estabilização baseados em âncoras cambiais. Pode-se destacar como características geralmente observáveis nesses experimentos: grande eficácia para eliminar a alta inflação crônica, apreciação real do câmbio tendo por conseqüência grande aumento dos déficits em conta corrente, forte expansão inicial da demanda, em geral contida mais à frente pelo desequilíbrio externo. Há contudo algumas diferenças importantes, que podem ajudar a elucidar por que algumas economias vêm crescendo mais do que outras, por que algumas apresentam uma vulnerabilidade externa maior do que outras etc. Além disso, a identificação das singularidades locais permite pensar alternativas diferentes de política econômica e de desenvolvimento para cada economia. O presente texto tem por tema a experiência brasileira recente de política cambial, relacionando-a com a política de juros, e destacando algumas diferenças importantes com relação a outras economias que passaram por processos de estabilização semelhantes — baseados na âncora cambial — no passado. 

Palavras-chave


política de câmbio; Plano Real; âncora cambial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Francisco Eduardo Pires de Souza

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
e-mail: rec@ie.ufrj.br