O modelo de dois hiatos e o supermultiplicador

Franklin Serrano, Luiz Daniel Willcox de Souza

Resumo


Neste trabalho reavaliamos criticamente o modelo de dois hiatos de Chenery. Tentaremos mostrar que o modelo original de Chenery tinha um caráter normativo, pois era um modelo de planejamento, e que o modelo foi desenvolvido precisamente para dizer que a restrição externa em geral era a mais relevante. No caso da literatura brasileira a partir dos anos 80, o modelo foi usado como um modelo positivo de uma economia não planejada e em geral com o objetivo de argumentar que a restrição mais relevante era (e é) a de poupança. Mostramos também que numa economia não planejada, no que diz respeito ao hiato de poupança, a operação do mecanismo do supermultiplicador garante que mesmo a longo prazo a taxa de poupança é determinada endogenamente pela taxa de investimento. Por outro lado, quanto à restrição de divisas, mostraremos que na economia não planejada ela não deve ser formalizada como um limite ao investimento e sim ao nível de atividade em geral. 

Palavras-chave


restrição externa; poupança; supermultiplicador; crescimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Franklin Serrano, Luiz Daniel Willcox de Souza

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
e-mail: rec@ie.ufrj.br