Constrangimentos ao crescimento no Brasil: um modelo de hiatos (1970-2000)

José Ronaldo de Castro Souza Júnior, Frederico Gonzaga Jayme Júnior

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar as restrições ao crescimento econômico no Brasil tomando por base as versões dos modelos de hiatos desenvolvidas por Chenery e Bruno (1962), Bacha (1990) e Taylor (1991). Embora discutidos com grande freqüência no Brasil nos anos 70 e 80, modelos desta natureza há algum tempo passaram a ser pouco utilizados para analisar a economia brasileira. No entanto, em que pesem as transformações ocorridas no país a partir de 1990, com a abertura comercial e as reformas estruturais, as restrições ao crescimento econômico manifestam-se quando diminuem as disponibilidades de divisas externas, revelando que a restrição externa certamente possui um papel significativo no baixo desempenho econômico do Brasil. O modelo de três hiatos, no entanto, contribui para avaliar em que sentido não só a restrição externa, mas também a de poupança e fiscal contribuem para este fato e aqui se pretende estimar o papel de cada uma dessas restrições ao crescimento no Brasil. O período analisado foi o maior possível considerando-se a disponibilidade de dados para a estimação (1970-2000). 

Palavras-chave


restrição ao crescimento; modelos de hiatos; crescimento econômico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 José Ronaldo de Castro Souza Júnior, Frederico Gonzaga Jayme Júnior

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br