CAPITAL HUMANO OU CAPITALISMO SELVAGEM? UM BALANÇO DA CONTROVÉRSIA SOBRE DISTRIBUIÇÃO DE RENDA DURANTE O “MILAGRE” BRASILEIRO

Ricardo Strazzacappa Barone, Pedro Paulo Zahluth Bastos, Fernando Augusto Mansor de Mattos

Resumo


O artigo tem por objetivo realizar um balanço da controvérsia sobre a distribuição de renda no Brasil na década de 1960. Para tanto, apresentamos os principais argumentos da interpretação “oficial”, fundamentada e justificada no trabalho de Langoni (1973), bem como as principais críticas a ela endereçadas pelas interpretações alternativas. A interpretação “oficial” considerou que o aumento na desigualdade da distribuição de renda entre 1960 e 1970 seria consequência natural e transitória do descompasso entre demanda e oferta de mão-de-obra qualificada, num contexto de intenso crescimento econômico. Consideramos, em linha com as interpretações alternativas, que a interpretação “oficial” apresentouargumentos que obscureceram a importância de elementos teóricos e empíricos relacionados com ahierarquia organizacional das empresas, a política econômica do governo militar e o padrão de desenvolvimento capitalista no Brasil.

Palavras-chave


“Milagre” brasileiro; desigualdade de renda; diferenciais salariais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ricardo Strazzacappa Barone, Pedro Paulo Zahluth Bastos, Fernando Augusto Mansor de Mattos

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br