Não neutralidade fiscal, gastos públicos e agentes heterogêneos

Victor Rodrigues de Oliveira, Fernando Motta Correia

Resumo


O objetivo deste estudo é verificar se a política fiscal é não neutra em um ambiente de endogeneidade dos gastos públicos com agentes heterogêneos. Considerou-se que a política fiscal pode ser conduzida por dois instrumentos, a saber, os impostos lump-sum e os gastos públicos. Para alcançar o objetivo proposto construiu-se um modelo novo keynesiano a partir dos trabalhos de Blanchard (1985) e Leith e Thadden (2008). Os resultados do sistema dinâmico indicam que as políticas monetária e fiscal devam ser ativas, o que denota para a não neutralidade da política fiscal.


Palavras-chave


política fiscal; gastos públicos; agentes não ricardianos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Victor Rodrigues de Oliveira, Fernando Motta Correia

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
e-mail: rec@ie.ufrj.br