Análise desagregada da inflação por setores industriais da economia brasileira entre 1996 e 2011

Carlos Pinkusfeld Monteiro Bastos, Caroline Teixeira Jorge, Julia de Medeiros Braga

Resumo


Este artigo reporta uma investigação empírica sobre a dinâmica inflacionária de dezessete setores industriais da economia brasileira entre 1996 e 2011. A partir de uma breve discussão teórica sobre a relação entre a inflação e a demanda agregada nas abordagens convencional (modelo do Novo Consenso), pós-keynesiana e do conflito distributivo, buscaram-se evidências de inflação de excesso de demanda e de pressões de custo nesses setores. As séries temporais utilizadas foram o Índice de Preço ao Produtor Amplo por Origem (IPA-OG), o grau de Utilização da Capacidade Instalada (ambos da FGV), o Índice de Commodities Internacionais (IFS/FMI), a taxa de juros e a taxa de câmbio nominal (ambas do Banco Central do Brasil − BCB). As equações foram estimadas a partir da Metolodogia ADL (Autoregressive Distributed Lags). Os resultados apontaram para a ausência de uma relação forte e sistemática entre a inflação e a demanda agregada e para evidência de pressões de custo, sobretudo os preços internacionais das commodities e o câmbio, como determinantes da dinâmica inflacionária dos setores e período analisados.

Palavras-chave


abordagens heterodoxas; inflação; política monetária

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Carlos Pinkusfeld Monteiro Bastos, Caroline Teixeira Jorge, Julia de Medeiros Braga

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
e-mail: rec@ie.ufrj.br