Uma crítica empírica da convenção do “desenvolvimento do investimento direto externo (IDE)”

Marc Lautier, François Moreau

Resumo


As políticas pró-IDE tornaram-se um pilar da convenção do desenvolvimento. Embora na literatura especializada inúmeros estudos abordem os efeitos do IDE sobre o crescimento e o investimento no país recebedor do IDE, pouco se sabe sobre como o investimento doméstico afeta os fluxos do IDE. Este trabalho tem o objetivo de preencher essa lacuna. Dados de uma ampla amostra de 68 países no período de 1984 a 2004 mostram que o investimento doméstico defasado exerce uma forte influência sobre os fluxos de IDE no país de destino, sugerindo que o investimento doméstico é um forte catalisador do IDE nos países em desenvolvimento e que as empresas multinacionais seguem o desenvolvimento econômico. Isso sugere que os instrumentos de política industrial, notadamente políticas de promoção do investimento direcionadas para firmas nacionais, também serão suficientes para atrair investidores estrangeiros.

Palavras-chave


investimento direto externo; países em desenvolvimento; investimento doméstico; política industrial

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Marc Lautier, François Moreau

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br