O Brasil no espelho da China: tendências para o período pós-crise financeira global

André Moreira Cunha, Marcos Tadeu Caputi Lélis, Julimar da Silva Bichara

Resumo


Este trabalho analisa como a reação do governo chinês à crise financeira global afetou a América Latina, particularmente o Brasil. A despeito das intenções de reorientação do seu modelo de crescimento, a resposta chinesa à crise reforçou, pelo menos a curto e médio prazos, a dependência das exportações e dos investimentos. Em um quadro de lenta recuperação das economias centrais, passa ganhar destaque o acesso a mercados mais dinâmicos, como os países emergentes. Assim, para além do papel de fornecedora de recursos naturais, as economias latino-americanas passam a ter uma importância renovada como destino das exportações de manufaturas e capitais chineses. Países com estruturas produtivas mais maduras e diversificadas, como o Brasil, irão deparar-se com o risco de um processo de regressão em seus padrões de especialização.

Palavras-chave


China; Brasil; crise financeira global; estratégia de desenvolvimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 André Moreira Cunha, Marcos Tadeu Caputi Lélis, Julimar da Silva Bichara

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br