A China é apenas uma montadora de partes e componentes? O crescimento recente da indústria de alta tecnologia

Marcelo José Braga Nonnenberg, Allan Mesentier

Resumo


O objetivo deste artigo é avaliar até que ponto a China vem evoluindo ao longo da cadeia tecnológica e aumentando o conteúdo doméstico de sua indústria de alta tecnologia. Especificamente, será avaliado se a China aumentou sua participação no comércio mundial de bens relativamente intensivos em tecnologia e, ao mesmo tempo, elevou seu conteúdo doméstico, transformando seu papel de mero montador de bens finais para o de produtor de bens mais intensivos em tecnologia. Foi construído um indicador de valor doméstico agregado calculado como a diferença entre as exportações de bens finais e as importações de partes e componentes. A conclusão principal é que esse indicador elevou-se significativamente desde o início da década de 1990, pondo em evidência as profundas modificações operadas nas exportações chinesas nas duas últimas décadas.

Palavras-chave


comércio exterior; inovação; China; fragmentação da produção

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Marcelo José Braga Nonnenberg, Allan Mesentier

Instituto de Economia da UFRJ

Avenida Pasteur, 250, Palácio Universitário, sl 114 
Urca, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22290-240, Rio de Janeiro - RJ Brasil
Tel.: 55 21 3873-5242
Fax: 55 21 2541-8148
e-mail: rec@ie.ufrj.br