Idosos de Baixa Renda e o Consumo De Crédito: Uma Análise sobre as Riquezas dessa relação sob o Olhar do Marketing

Gustavo Tomaz de Almeida, Bruno Medeiros Ássimos, Georgiana Luna Batinga, Marcelo de Rezende Pinto

Resumo


Nos últimos anos, alguns pesquisadores de Marketing têm alertado para um tema pouco estudado na área: o consumo de crédito.  Frente tais questões, essa pesquisa buscou compreender como os idosos de baixa renda se relacionam com o consumo de crédito, direcionando o olhar dos pesquisadores de Marketing para as riquezas dessa relação. A discussão teórica circunda para a baixa renda e sua relação com o consumo; a pluralidade de usos do crédito; bem como o consumo como forma de promulgar a (in)dependência financeira. Metodologicamente, trabalhamos por meio de uma etnografia com 120 idosos de baixa renda, realizada por três pesquisadores, de abril de 2016 até junho de 2018, totalizando mais de 400 horas de campo (1.750 páginas de texto para análise). Interpretamos as narrativas por intermédio da Análise de Conteúdo, em três categorias: (1) Particularidades da baixa renda ao se tornar idoso e usar o crédito; (2) Pluralidades de sentidos atribuídos ao crédito; (3) (In)dependência financeira e de vida do participante via crédito. Em termos de resultados, notamos que o consumo de crédito assume significados para os entrevistados em esferas sociais, políticas, culturais e históricas. Observamos também que não existe um padrão homogêneo de consumidores idosos influenciados só por fatores cognitivos e/ou comportamentais. Em complemento, notamos diferenças entre atores e observadores ao construírem sua própria realidade social e suas percepções seletivas sobre o que se entende sobre o sentido do crédito. Como implicações para área de Gestão e diferente do que alguns estudos anteriores apontam (geralmente em expressões como “Os idosos são”), o que se vê é a desfragmentação social e não a coesão quando o idoso de baixa renda é percebido como consumidor.

Palavras-chave


Consumo; Crédito; Idosos; Baixa renda; Marketing.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEP. Critério Brasil, 2017. Disponível em Acesso em 18 de Jul. 2018.

ALMEIDA, G. T. et al. DOMINAÇÃO FINANCEIRA E CONSUMO DE CRÉDITO: Uma análise das estratégias discursivas de fornecedores de crédito à luz da Análise Crítica do Discurso. SEMEAD. São Paulo: Anais. 2017. p. 1-16.

ALMEIDA, G. T. et al. Uma Perspectiva Transformadora Entre Consumidores Idosos de Baixa Renda no Contexto de Consumo de Crédito e Violência Financeira. XLI EnANPAD. São Paulo: Anais. 2017a. p. 1-16.

ALVES, G. L. C. et al. Baixa renda: endividamento e compreensão de notícias econômicas. Inovcom, 5, n. 2, 2013. 38-51.

ASKEGAARD, S.; LINNET, J. T. Towards an epistemology of consumer culture theory. Marketing Theory, 11, n. 4, 2011. 381-404.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2015.

BARNHART, M.; PEÑALOZA, L. Who are you calling old? Negotiating old age identity in the elderly. Journal Consumer Research, 39, n. 6, 2013. 1133-1153.

BAUMAN, Z. Vida a crédito. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BERNTHAL, M. J.; CROCKETT, D.; ROSE, R. L. Credit Cards as Lifestyle Facilitators. Journal of Consumer Research, 32, n. 1, 2005. 130-145.

BERNTHAL, M. J.; CROCKETT, D.; ROSE, R. L. Credit Cards as Lifestyle Facilitators. Journal of Consumer Research, 32, n. 1, 2005. 130-145.

BIROCHI, R.; POZZEBON, M. Improving financial inclusion: Towards a critical financial education framework. RAE, 56, n. 3, 2016. 266-287.

BORTOLUZZI, D. A. et al. Aspectos do endividamento das famílias brasileiras no período de 2011-2014. Perspectiva, 39, n. 146, 2015. 111-124.

BRASIL. Lei 10.741 de 01/10/2003, Dispõe sobre o Estatuto do Idoso, 2003.

BRUSKY, B.; FORTUNA, J. P. Entendendo a demanda para as microfinanças no Brasil: um estudo. Rio de Janeiro: BNDES, 2002.

CABRAAL, A. The Impact of Microfinance on the Capabilities of Participants. RMIT University - Austrália: Tese de Doutorado em Filosofia, 2011. Disponivel em: . Acesso em: 22 Jun. 2018.

CAMPOS, K.; SOUZA, M. L.; MATOS, L. S. Impacto da Crise Econômica do Crédito nos Indicadores de Desempenho dos Maiores Bancos Brasileiros: Uma Análise entre os Anos de 2005 a 2012. Reunir, 5, n. 2, 2015. 122-143.

CASTILHOS, R. B.; ROSSI, C. A. V. Subindo o Morro: Consumo, Posição Social e Distinção entre Famílias de Classes Populares. In: ROCHA, A.; SILVA, J. C. F. Consumo na Base da Piramide. Rio de Janeiro: Mauad, 2009. p. 49-74.

CHAUVEL, M. A.; MATTOS, M. P. A. Z. Consumidores de Baixa Renda: Uma revisão dos achados nos estudos feitos no Brasil. Cadernos EBAPE, 6, n. 2, 2008. 1-17.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de Pesquisa em Administração. 12. ed. São Paulo: Bookman, 2016.

DALMORO, M.; VITORAZZI, K. Trajetórias de Consumo: O Sujeito-Consumidor de Serviços Bancários na Terceira Idade. RAC, 20, n. 3, 2016. 328-346.

DUARTE, A. A antropologia e o estudo do consumo: revisão crítica das suas relações e possibilidades. Etnográfica, 14, n. 2, 2010. 363-393.

FISCHER, E. Financial Insecurity and Deprivation. Journal of Consumer Research, 39, n. 5, 2013. 7-8.

GARVEY, A. M.; GERMANN, F.; BOLTON, L. E. Performance Brand Placebos: How Brands Improve Performance and Consumers Take the Credit. Journal of Consumer Research, 42, n. 6, 2015. 931-951.

GERHARD, F. et al. Consumo na baixa renda: influência dos valores de compra hedônico e utilitário no endividamento. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 14, n. 2, 2015. 797-824.

HEMAIS, M. W. et al. Economia, Marketing e Indivíduos de Baixa Renda: o interesse após uma história de indiferença. Revista de Ciências da Administração, 16, n. 39, 2014. 49-64.

HEMAIS, M. W.; CASOTTI, L. M. Relações entre consumidores de baixa renda, empresas e governo: "Eles lá e Nós Aqui". Rev. Adm. UFSM, 10, n. 1, 2017. 42-59.

L'ESTOILE, B. “Money Is Good, but a Friend Is Better”: Uncertainty, Orientation to the Future, and “the Economy”. Current Anthropolog, 55, n. 9, 2014. 62-73.

LANGLEY, P. Consuming credit. Consumption Markets & Culture, 17, n. 5, 2014. 417-428.

LITTWIN, A. Coerced Debt: The Role of Consumer Credit in Domestic Violence. California Law Review, 100, n. 4, 2012. 951-1026.

MALINOWSKI, B. Os argonautas do Pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MATOS, C. A.; BONFANTI, K.; METTE, F. M. B. Comportamento do consumidor endividado: um estudo exploratório com indivíduos de baixa renda. Gestão e Sociedade, 8, n. 20, 2014. 670-687.

MATTOSO, C. L. Q.; ROCHA, A. Significado do credito para consumidores pobres: identidade, distinção e dádiva. In: ROCHA, A. S. J. F. Consumo na Base da Pirâmide. Rio de Janeiro: Mauad, 2009. p. 75-96.

MCCRACKEN, G. Cultura e consumo: uma explicação teórica da estrutura e do movimento do significado cultural dos bens de consumo. Rev. adm. empres., 47, n. 1, 2007. 99-115.

MILLER, D. Teoria das Compras: o que orienta as escolhas dos consumidores. São Paulo: Nobel, 2002.

MORGAN, G. Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações. In: CALDAS, M. P.; BERTERO, C. O. (Org.). Teoria das organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 12-33.

MUKHERJEE, D. Financial Exploitation of Older Adults in Rural Settings: A Family Perspective. Journal of Elder Abuse & Neglect, 25, n. 5, 2013. 425-437.

NEILL, L. S. The place of debt in establishing identity and self-worth in transitional life phases: young home leavers and credit. International Journal of Consumer Culture, 38, n. 1, 2014. 69-74.

NEPOMUCENO, M. V.; LAROCHE, M. The impact of materialism and anti-consumption lifestyles on personal debt and account balances. Journal of Business Research, 68, n. 3, 2015. 654-664.

PEÑALOZA, L.; BARNHART, M. Living U.S. Capitalism: The Normalization of Credit/Debt. Journal of Consumer Research, 38, n. 4, 2011. 743-762.

PEREIRA, C. R.; STREHLAU, S. A Dádiva na Dívida: um Estudo sobre o Endividamento Familiar. V EMA. Curitiba: Anpad. 2012. p. 1-14.

PINTO, M. R. As experiências de consumo de eletrônicos de consumidores de baixa renda no Brasil. Revista Brasileira de Marketing, 12, n. 1, 2013. 166-195.

PINTO, M. R.; PEREIRA, D. R. M. Uma teoria fundamentada das experiências de consumo de lazer por consumidores da terceira idade. Revista de Administração da Unimep, 12, n. 3, 2014. 152-183.

PONCHIO, M.; ARANHA, F. Necessidades, vontades e desejos: a influência do materialismo sobre a dívida de consumo dos paulistanos de baixa renda. In: ROCHA; A.; SILVA, J. F. Consumo na Base da Pirâmide: estudos brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 2009. p. 133-156.

ROCHA, E. Magia e Capitalismo: um estudo antropológico da publicidade. São Paulo: Brasiliense, 1995.

ROCHA, E. A sociedade do sonho: comunicação, cultura e consumo. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 2005.

SAATCIOGLU, B.; CORUS, C. Poverty and Intersectionality: A Multidimensional Look into the Lives of the Impoverished. Journal of Macromarketing, 34, n. 2, 2014. 122-132.

SERASA. Estudo Inédito da Serasa Revela onde estão os idosos inadimplentes no Brasil: 2017. Disponível em Acesso em 18 de Jul. 2018.

SILVA, H. M. R.; PARENTE, J.; KATO, H. T. Segmentação da baixa renda baseado no orçamento familiar. Adm. Faces Journal, 8, n. 4, 2009. 98-114.

SOEDERBERG, S. Debtfare States and the Poverty Industry. New York: Routledge, 2015.

VERGARA, S. C.; CALDAS, M. P. Paradigma Interpretativista: a busca da superação do objetivismo. RAE, 45, n. 4, 2005. 53-57.

VIZEU, F. Contribuições da Sociologia da Dádiva aos Estudos sobre Organizações Substantivas. O & S, 16, n. 50, 2009. 409-427.

WALTHER, L. O ciclo do Consumo. In: ______ Mulheres que não ficam sem pilha: como o consumo erótico feminino está transformando vidas, relacionamentos e a sociedade. 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 2017. Cap. III. ISBN 9788574788753.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.18872

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Gustavo Tomaz de Almeida, Bruno Medeiros Ássimos, Georgiana Luna Batinga, Marcelo de Rezende Pinto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals SPELL Scholar EBSCO

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.