Uma análise do Modelo de Avaliação de Projetos de Inovação para Obtenção de Capital de Risco Público do Programa Governamental CRIATEC I - BNDES à Luz dos Modelos Teóricos Contábeis para Mensuração de Intangíveis

Herika Maciel de Oliveira Costa

Resumo


Como forma de impulsionar o crescimento econômico, governos de diversos países incentivam o empreendedorismo, a inovação e o desenvolvimento tecnológico. Para isto, se utilizam de programas governamentais por meio de políticas de incentivo ou subvenção econômica a empreendimentos com este perfil. No Brasil, o capital de risco público vem sendo oferecido à empresas inovadoras através dos fundos da série CRIATEC, fomentado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Estes negócios possuem, essencialmente, ativos intangíveis, que devem ser considerados pelos investidores em suas avaliações que antecedem o aporte de recursos. Neste contexto, esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de analisar como a metodologia de avaliação de intangíveis, utilizada como ferramenta de apoio de decisão de investimento de capital de risco público, considera os indicadores de inovação frente aos modelos teóricos propostos na literatura contábil. Para isto foi realizado um estudo de caso que identificou a realização de profunda análise das empresas candidatas ao aporte de recursos através da avaliação de três fatores de risco: Potencial, risco financeiro e risco de desenvolvimento. Foi possível verificar indicadores de inovação presentes nas metodologias de avaliação de intangíveis propostas na literatura contábil na análise de um destes fatores. Contudo, não foi possível identificar a utilização de uma metodologia pré definida e parametrizada pelo Fundo.


Palavras-chave


Capital de risco público. Inovação. Ativo Intangível. CRIATEC

Texto completo:

PDF

Referências


BARNEY, J. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.

BARNEY, J.; CLARK, D. N. Resource-Based Theory. New York: Oxford, 2007.

BRITO, E. P. Z.; BRITO, L..A.L; MORGANTI, F. Inovação e o desempenho empresarial: lucro ou crescimento. FGV-EAESP/RAE, São Paulo, v. 8, n. 1, Art. 6, jan./jun. 2009.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (CNI). Mobilização empresarial pela inovação: cartilha. Gestão da Inovação. Brasília, 2010. Disponível em: Acesso em: 12 jan. 2015.

COSTA, H. C. M O. Estudo comparativo dos modelos de avaliação de inovação para obtenção de capital de risco: programa governamental Criatec I - BNDES versus modelos teóricos para cálculo de intangíveis propostos na Contabilidade. 2015. 139f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Administração e Finanças., 2015.

DEUTSCHER, J. A.; RENAULT T.; ZIVIANI N. A geração de riqueza a partir da universidade: o caso da Akwan. Departamento de Ciência da Computação da UFMG. Belo Horizonte, 2005.

DEUTSCHER, J. A. Capitais Intangíveis – Métricas e Relatório. Tese, COOPE – UFRJ. Rio de Janeiro, 2008.

EDVINSSON L; MALONE M.S. Capital Intelectual: Descobrindo o valor real de sua empresa pela identificaçãoo de seus valores internos. São Paulo: Makron Books, 1998.

MANUAL DE OSLO. Tradução de Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), 2005. Disponível em . Acesso em: 19 maio. 2014.

National Venture Capital Association (NVCA). Venture Monitor. 2Q 2018. Disponível em:

https://nvca.org/pressreleases/total-investment-venture-backed-companies-reached-57-billion-first-half-2018/. Acesso em 20/08/2018.

KAPLAN, R. S.; NORTON D. P. A Estratégia em ação: Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1997.

KAPLAN, R. S.; NORTON D. P. Mapas estratégicos: convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil, 2004.

LEV, B. Intangibles: management, measurement and reporting. Washington: Brookings Institution Press, 2001.

LEYDESDORFF L.; ETZKOWITZ H. Emergence of a Triple Helix of University-Industry-Government Relations. Science and Public Policy. 1996

MARTINS, L.L.A. Um estudo comparativo entre os indicadores de inovação utilizados pelos métodos de scorecard para o cálculo de ativos intangíveis com os utilizados pelos fundos de capital de risco para investimentos em empresas spin-offs acadêmicas incubadas. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2014.

INVEST EUROPE. European Private Equity Activity: Estatistics on fundraising, investiments and Divestments. Maio, 2018. Disponível em: https://www.investeurope.eu/media/711867/invest-europe-2017-european-private-equity-activity.pdf. Acesso em 20 ago 2018.

PENROSE, E. The theory of the growth of the firm. London: Basil Blackwell, 1959.

SCHUMPETER, J. A. The theory of economic development: An inquiry into profits, capital, credit, interest, and the business cycle. Vol. 55. Transaction publishers, 1934.

STEWART. T. A. Capital Intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro: editora Campus, 1998.

SVEIBY, K. E. Methods for measuring intangible assets. ©Karl-Erik Sveiby Jan 2001, updated 27 April 2010.Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2014.

TIDD, J. B. et al. Managing Innovation: Integrating Technological, organizational and market change. Chichester: John Wiley, 1997.

TIDD, J. Innovation mamagement in contexto: environment, organization and performance. International Journal of Management Reviews, v. 3, n. 3, p. 169-183, set. 2001.

YIN, R. K. Estudo de caso: Planejamento e Métodos. 4. Ed. São Paulo: Bookman, 2010.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.23471

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Herika Maciel de Oliveira Costa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals Scholar  EBSCO   

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.