Implicações da Inteligência Artificial na Auditoria Interna no Brasil: Análise sob a Percepção de Profissionais

Wemerson Gomes Borges, Rodrigo Silva Diniz Leroy, Luciano Ferreira Carvalho, Nilton César Lima, José Maria Oliveira

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi identificar a percepção de auditores internos do Brasil, com relação às implicações da inteligência artificial nas atribuições, processos e resultados de trabalhos de auditoria interna. Optou-se por um estudo exploratório, sendo a coleta de dados primários feita através de questionário, que utilizou a escala Likert para apurar as percepções de 52 profissionais da área de auditoria interna. Além da Análise Exploratória de Dados, foram feitas tabulações cruzadas das respostas, validadas por testes Qui-Quadrado. Foram identificadas evidências de que a Inteligência Artificial (IA) poderá ser uma aliada aos trabalhos de auditoria, apesar da maioria dos respondentes mencionar que a mesma não é indispensável para a área. Observou-se que o método tradicional de trabalho tende a ser substituído por novas tecnologias, apesar de que os conhecimentos dos profissionais da área de auditoria ainda são básicos e que os métodos convencionais são predominantes, uma vez que os processos de natureza manual ainda são maioria nas empresas. Identificou-se que o custo benefício de uma implementação tecnológica na área de auditoria é benéfico e que técnicas de automação poderão ser utilizadas para fazer julgamentos, apesar do fato deles não concordarem com o uso da IA para questões estratégicas de auditoria. A partir das constatações, percebeu-se que os respondentes tendem a valorizar a importância da IA e concordar que os procedimentos tradicionais estão se tornando defasados. No entanto, a mentalidade conservadora em meio ao aumento da complexidade dos negócios pode comprometer a auditoria interna, tornando-a menos eficaz em suas atividades. Ainda assim, mesmo que haja alguma resistência, a implementação das tecnologias nos procedimentos de auditoria interna parece ser inevitável, ainda que aconteça paulatinamente.

Palavras-chave


Auditoria Interna; Inteligência Artificial; Automação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASILEIRO, A. M. M. Manual de produção de textos acadêmicos e científicos. São Paulo: Atlas, 2013.

CHAN, D. Y.; VASARHELYI, M. A. Innovation and practice of continuous auditing. International Journal of Accounting Information Systems, v. 12, n. 2, p. 152-160, 2011.

CHIU, V.; LIU, Q.; VASARHELYI, M. A. The development and intellectual structure of continuous auditing research. Journal of Accounting Literature, v. 33, n. 1–2, p. 37-57, 2014.

CHRISTENSEN, B. E.; GLOVER, S. M.; OMER, T. C.; SHELLEY, M. K. Understanding audit quality: Insights from audit professionals and investors. Contemporary Accounting Research, v. 33, n. 4, p. 1648-1684, 2016.

CORAM, P.; FERGUSON, C.; MORONEY, R. Internal audit, alternative internal audit structures and the level of misappropriation of assets fraud. Accounting & Finance, v. 48, n. 4, p. 543-559, 2008.

DEFOND, M.; ZHANG, J. A review of archival auditing research. Journal of Accounting and Economics, v. 58, n. 2-3, p. 275-326, 2014.

DREYFUS, H. L. Alchemy and artificial intelligence. The RAND Corporation: Santa Monica, 1965.

DREYFUS, H. L. What computers still can't do: a critique of artificial reason. The MIT press, 1992.

DUQUE-MÉNDEZ, N. D.; TABARES-MORALES, V.; GONZÁLEZ, H. ESIA Expert System for Systems Audit Risk-Based. In: SIMARI G.; FERMÉ E.; GUTIÉRREZ SEGURA F.; RODRÍGUEZ MELQUIADES J. (eds) Advances in Artificial Intelligence - IBERAMIA 2018. Springer, p. 483-494, 2018.

FRIEDBERG, A. (ed.). Studies in State Audit. State of Israel, State Comptroller's Office, 1995.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

ISSA, H.; SUN, T.; VASARHELYI, M. A. Research ideas for artificial intelligence in auditing: The formalization of audit and workforce supplementation. Journal of Emerging Technologies in Accounting, v. 13, n. 2, p. 1-20, 2016.

LUCIAN, S.; IOANA, C. Exercise of Internal Audit of Compliance Regarding Human Resources Management of an Entity in Terms of Fuzzy Logic. Anale. Seria Stiinte Economice, v. 19, p. 680-687, 2013.

OLDHOUSER, M. C. The Effects of Emerging Technologies on Data in Auditing. University of South Carolina: Columbia, 2016

OMOTESO, K. The application of artificial intelligence in auditing: Looking back to the future. Expert Systems with Applications, v 39, p. 9, p. 8490-8495, 2012.

PAULA, M. G. M. A. Auditoria interna: embasamento conceitual e suporte tecnológico. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, v. 3, n. 1, p. 79-110, 2000

PEREIRA, A. C.; NASCIMENTO, W. S. Um estudo sobre a atuação da auditoria interna na detecção de fraudes nas empresas do setor privado no Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 7, n. 19, 2005.

REGAZZI, A. J. Curso de Iniciação à Estatística. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2007.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: método e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SARENS, G.; ABDOLMOHAMMADI, M. J. Monitoring effects of the internal audit function: agency theory versus other explanatory variables. International Journal of Auditing, v. 15, n. 1, p. 1-20, 2011.

SOH, D. S.; MARTINOV-BENNIE, N. The internal audit function: perceptions of internal audit roles, effectiveness and evaluation. Managerial Auditing Journal, v. 26, n. 7, 605-622, 2011.

TRIOLA, M. F. Introdução à estatística. 10 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

VASCONCELOS, V. L.; CRUZ, V. L.; SANTOS, R. R.; AMORIM, K. A. F. As Práticas de Auditoria Interna em uma Cooperativa de Crédito Sob a Perspectiva do COSO II. Revista Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 12, n. 2, p. 113-130, 2017.

WILLIAMS, L. T.; WILDER, W. M. Audit Firm Perspective on Audit Firm Rotation and Enhancing Independence: Evidence from PCAOB Comment Letters. Current Issues in Auditing, v. 11, n. 1, p. A22-A44, 2016.

YEE, C. S.; SUJAN, A.; JAMES, K.; LEUNG, J. K. Perceptions of Singaporean internal audit customers regarding the role and effectiveness of internal audit. AJBA, v. 1, n. 2, p. 147-174, 2008.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.25284

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Wemerson Gomes Borges, Rodrigo Silva Diniz Leroy, Luciano Ferreira Carvalho, Nilton César Lima, José Maria Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals Scholar  EBSCO   

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.