Uma Nova Configuração do Sistema de Gestão de Desempenho de uma Instituição Federal de Ensino Superior à Luz dos Princípios Globais de Contabilidade Gerencial

Natália Fernandes Silveira, Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo

Resumo


A análise do Sistema de Gestão de Desempenho (SGD) a partir dos Princípios Globais de Contabilidade Gerencial (PGCG) é relevante, considerando um quadro paradoxal em que por um lado, as universidades são uma importante engrenagem social na difusão de conhecimento e inovação, e por outro são um retrato retrógrado, consideradas ineficientes, lentas e burocratizadas em seus organismos centrais (PIRES; MACÊDO, 2006; VIEIRA; VIEIRA, 2003). O presente estudo tem por objetivo a investigação do nível de institucionalização da mudança institucional ocasionada por uma transição mandatária em uma Instituição Federal de Ensino Superior no Brasil, a partir da percepção dos gestores. A pesquisa é caracterizada como exploratória e descritiva quanto aos objetivos, aplicada quanto a natureza do problema com abordagem qualitativa e análise de dados transversais. Utilizando-se de um estudo de caso interpretativista, foram realizadas 26 entrevistas semiestruturadas para a coleta dos dados, tendo como base o Sistema de Gestão de Desempenho, parametrizado pelos Princípios Globais de Contabilidade Gerencial. Os resultados evidenciam dez categorias sendo estas: abertura, contrato de gestão, ferramentas gerenciais, foco estratégico, inovação tecnológica, integração, processo de comunicação, sobrecarga, transparência e algumas mudanças gerais, tendo a Teoria Institucional como fundamento. Conclui-se que mudanças mandatárias acarretam mudanças institucionais significativas. O processo de institucionalização da mudança encontra-se em fase de objetificação, enquadrando-se como semi-institucionalizado.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, F. J. DOS S. et al. Um Estudo Empírico Sobre a Importância Do Código De Ética Profissional Para O Contabilista. Revista Contabilidade e Finanças, v. 18, n. 30, p. 58–68, 2007.

BERGUE, S. T.; KLERING, L. R. A redução sociológica no processo de transposição de tecnologias gerenciais. Organizações & Sociedade, 2010.

BORKER, D. R. Gauging the impact of country-specific values on the acceptability of Global Management Accounting Principles. European Research Studies Journal, 2016a.

BORKER, D. R. Global management accounting principles and the worldwide proliferation of IFRS. The Business and Management Review, v. 7, n. 3, p. 258–267, 2016b.

BRANDÃO, H. P.; GUIMARÃES, T. DE A. Gestão de competências e gestao de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo construto? Revista de Administração de Empresas, 2001.

BRUDAN, A. Rediscovering performance management: Systems, learning and integration. Measuring Business Excellence, 2010.

BRUNTON, M.; MATHENY, J. Divergent acceptance of change in a public health organization. Journal of Organizational Change Management, v. 22, n. 6, p. 600–619, 14 out. 2009.

BURNS, J.; SCAPENS, R. W. Conceptualizing management accounting change: An institutional framework. Management Accounting Research, 2000.

CAMPOS, C. J. G. Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 2004.

CGMA, C. G. M. A. ESSENTIAL TOOLS FOR MANAGEMENT ACCOUNTANTS: The tools and techniques to support sustainable business success. [s.l: s.n.].

CGMA, C. G. M. A. Global Management Accounting Principles: Improving Decisions and Building Successful Organizations. n. May, p. 56, 2014a.

CGMA, C. G. M. A. Princípios globais de contabilidade gerencial ©. p. 56, 2014b.

CLEGG, S.; HARDY, C. STUDYING ORGANIZATION: theory and method. [s.l.] SAGE, 1999.

CLOUTIER, R. L. et al. Keeping Up With the Kids: Diffusion of Innovation in Pediatric Emergency Medicine Among Emergency Physicians. Academic Emergency Medicine, v. 24, n. 6, p. 769–775, jun. 2017.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Business research methods. 12. ed. New York: McGraw-Hill/Irwin, 2014.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DAHLGAARD, J. J.; DAHLGAARD-PARK, S. M. Lean production, six sigma quality, TQM and company culture. TQM Magazine, 2006.

ESPEJO, M. M. DOS S. B. et al. Uma abordagem institucional do subjetivismo responsável na adoção das Normas Internacionais de Contabilidade: uma análise crítico-reflexiva. Revista Estudos do ISCA, v. 2, p. 1–23, 2010.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GRENWOOD, R. et al. Introduction. Thousand Oaks, CA: SAGE Publications Ltd, 2008.

GUERREIRO, R. et al. O entendimento da contabilidade gerencial sob a ótica da teoria institucional. Organizações & Sociedade, 2005.

GUIMARÃES, T. DE A.; NADER, R. M.; RAMAGEM, S. P. Avaliação de desempenho de pessoal: uma metodologia integrada ao planejamento e à avaliação organizacionais. Rap, 1998.

KING, N. Using Interviews in Qualitative Research. In: CASSEL, C.; SYMON, G. (Eds.). . Essential Guide to Qualitative Methods in Organizational Research. 1. ed. Londres: SAGE Publications Ltd, 2004a. p. 412.

KING, N. Using Templates in the Thematic Analysis of Text. In: CASSELL, C.; SYMON, G. (Eds.). . Essential Guide to Qualitative Methods in Organizational Research2. 1. ed. Londres: SAGE Publications Ltd, 2004b. p. 412.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. DA; CRUBELLATE, J. M. Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea, 2010.

OYEWO, B. Predictors of the effectiveness of management accounting function in Nigerian firms. Scientific Annals of Economics and Business, v. 64, n. 4, p. 487–512, 2017.

PAGÈS, M.; BONETTI, M. As Mudanças. In: PAGÈS, M. et al. (Eds.). . O poder das organizações: a dominação das multinacionais sobre o indivíduos. São Paulo: Atlas, 1987. p. 234.

PIRES, J. C. D. S.; MACÊDO, K. B. Cultura organizacional em organizações públicas no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 40, n. 1, p. 81–105, 2006.

RAMOS, G. A Redução Sociológica. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1996.

REGINATO, L.; GUERREIRO, R. Relationships between environment, culture, and management control systems. International Journal of Organizational Analysis, v. 21, n. 2, p. 219–240, 2013.

RODRIGUES, M. V. Entendendo, Aprendendo e Desenvolvendo Qualidade Padrão Seis Sigma. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda, 2014.

RUSSO, P. T. et al. Percepção dos gestores sobre o processo de institucionalização do Balanced Scorecard de uma empresa de saneamento. Production, v. 24, n. 4, p. 927–939, 2014.

SCHLÄFKE, M.; SILVI, R.; MÖLLER, K. A framework for business analytics in performance management. International Journal of Productivity and Performance Management, 2013.

STAKE, R. The Art of Case Study Research. Thousand Oaks, CA: SAGE Publications Ltd, 1995.

STAKE, R. Qualitative case studies. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Eds.). . The Sage handbook of qualitative research. Thousand Oaks, CA: Sage Publications Ltd, 2005. p. 443–466.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. The Institutionalization of Institutional Theory. In: Studying Organization. Theory & Method. 1. ed. London, Thousand Oaks, New Delhi: [s.n.]. p. 169–184.

VIEIRA, E. F.; VIEIRA, M. M. F. Estrutura organizacional e gestão do desempenho nas universidades federais brasileiras. Rap, v. 37, n. 4, p. 899–920, 2003.

WERKEMA, M. C. C. Lean Seis Sigma - introdução às ferramentas do Lean Manufacturing. Revista Gestão Industrial, 2006.

ZUCCOLOTTO, R.; SILVA, G.; EMMENDOERFER, M. Limitações e possibilidades de compreensão da utilização das práticas de contabilidade gerencial por perspectivas da teoria institucional. Base – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 2010.

ZUCKER, L. G. Institutional Theories of Organization. Annual Review of Sociology, 1987.




DOI: https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.27512

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Natália Fernandes Silveira, Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores: 

Directory of Open Access Journals Scholar  EBSCO   

 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vínculo Institucional:

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis 
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 
Av. Pasteur, 250 - Urca - Rio de Janeiro - 22.290-240 
Tel./Fax: (21) 3938-5119

Ficha Catalográfica:

Sociedade, Contabilidade e Gestão [recurso eletrônico]/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. -- v. 1, n. 1, 2° semestre de 2006 -- Rio de Janeiro: UFRJ, 2006-.v. 
Quadrimestral 
Semestral 2006-2012
ISSN 1982-7342

1. Contabilidade e Gestão. I. Universidade Federal do Rio de Janeiro -- Faculdade de Administração e Ciências Contábeis.